Tartaruga de três pernas resgatada de traficantes ganha “rodinhas” e volta a andar

Tartaruga de três pernas resgatada de traficantes ganha “rodinhas” e volta a andar
Foto: Divulgação / zoológico Chester

Como seu próprio nome já diz, essa tartaruga extremamente rara da espécie Astrochelys yniphora é sinônimo de esperança. Batizada de “Hope”, ela foi encontrada na mala de um traficante na alfândega do aeroporto de Hong Kong em 2019 e foi levada imediatamente para receber cuidados de conservacionistas da Fazenda Kadoorie e do Centro de Resgate de Animais Selvagens do Jardim Botânico chinês.

Ganhou uma nova vida, mas estava apenas com três das suas pernas. Os especialistas a encontraram sem a dianteira esquerda, bem como sem as garras da perna traseira esquerda. A razão seria um defeito de nascença ou lesões adquiridas na juventude. No primeiro momento, Hope foi contemplada com três rolos de suporte sob sua concha inferior para ajudá-la a andar e se equilibrar.

Agora, ganhou um novo lar no Zoológico de Chester, na Inglaterra, e também um presente: rodinhas para se locomover melhor. Em nota, o zoológico explicou que os veterinários fizeram mais modificações nas rodas para garantir que seu suporte de mobilidade seja perfeitamente otimizado e ela se adapte ao novo ambiente.

Tartaruga "Hope" volta a andar com rodinhas e agora faz parte de um programa de reprodução em cativeiro — Foto: Zoológico Chester
Tartaruga “Hope” volta a andar com rodinhas e agora faz parte de um programa de reprodução em cativeiro — Foto: Zoológico Chester

“Hope está se adaptando bem em sua nova casa, e sua prótese funciona tão bem que ele se move ainda mais rápido que seus três vizinhos! Uma vez que ele esteja mais desenvolvido, ele vai produzir descendentes e contribuir para a sobrevivência da espécie graças à população de seguro vital em zoológicos de conservação.”, destacou o doutor Gerardo Garcia, Curador de Vertebrados e Invertebrados Inferiores do zoo.

Além disso, a tartaruga passa a integrar um programa europeu de reprodução em cativeiro, que desempenha um papel vital para salvar as espécies criticamente ameaçadas da extinção. Conhecida como “tartaruga de arado”, ela é endêmica de Madagascar e é listada como criticamente ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

O diretor de animais do zoo, Mike Jordan, disse à BBC que a ideia é criar uma “população que sirva de rede de segurança geneticamente viável para evitar sua extinção. Nos recusamos a ficar parados e ver essa espécie incrível desaparecer.”⁠

Atualmente, existem apenas 63 tartarugas de arado legalmente fora de Madagascar, como parte de programas vitais de conservação de reprodução. No zoológico de Chester, estão quatro desses animais.

O maior problema que a espécie enfrenta é o comércio ilegal por suas conchas douradas e pretas. O crime internacional é o quarto maior depois do tráfico de drogas, armas e seres humanos. No caso da Hope, o traficante foi preso por dois anos , a pena mais pesada já imposta sob as leis de proteção animal de Hong Kong.

Fonte: Um Só Planeta

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.