Tartaruga é achada morta em praia de João Pessoa e corpo permanece no local há mais de 24h

Tartaruga é achada morta em praia de João Pessoa e corpo permanece no local há mais de 24h
Tartaruga é achada morta em praia de JP e corpo permanece no local há mais de 24h (Foto: Reprodução Internet)

Uma tartaruga foi encontrada morta por banhistas, na tarde desse sábado (15), em um ponto da praia do Bessa, na Orla de João Pessoa, PB. O animal, que pesaria mais de 100 kg, estava com ferimentos no casco e, até a tarde deste domingo (16), o corpo da tartaruga ainda estava na praia.

De acordo com Meire Ferreira, protetora de animais, no sábado, uma amiga viu no momento em que banhistas encontraram o corpo da tartaruga e tentaram colocá-lo no mar, sem sucesso. Com isso, o animal entrou em estado de decomposição na praia.

“Eu estava com uma amiga na orla quando fomos informadas sobre a tartaruga. Fomos até o local e vimos que ela estava morta e com ferimentos no casco. Ainda na noite de sábado tentamos contato com diversos órgãos, como bombeiros, Capitania dos Portos, Ibama, Emlur e Marinha, mas todos afirmaram não ter responsabilidade de recolher a tartaruga. Por conta disso o corpo da tartaruga entrou em decomposição, os órgãos estão ficando expostos e ela permanece no local”, afirmou Meire Ferreira.

Para a protetora, o problema não se resume apenas ao corpo do animal na areia e a falta de atenção das autoridades com o caso, mas os possíveis problemas com infecções em banhistas por conta da decomposição do animal.

O comandante do Batalhão Ambiental da Polícia Militar, major Tibério, informou que a competência de recolher e enterrar o corpo do animal é da Emlur, já que a situação é de limpeza urbana.

A Emlur orientou que moradores da região procurem o órgão nesta segunda-feira (17) para que seja feita a solicitação de remoção do corpo.

Rita Mascarenhas, membro da ONG Tartarugas Urbanas – Guajiru, em João Pessoa, para saber mais informações sobre a identificação do animal, mas as ligações também não foram atendidas até o fechamento desta matéria.

Com informações Portal Correio

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.