Ibama e Instituto Verdeluz avaliaram a carcaça encontrada pela população na praia da Taíba, no Ceará — Foto: Divulgação/Prefeitura de São Gonçalo do Amarante

Tartaruga é encontrada morta na praia da Taíba, no Ceará; animal não tinha vestígios de óleo, segundo biólogos

Uma tartaruga foi encontrada morta na manhã desta sexta-feira (15), na praia de Taíba, no município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Fortaleza. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Verdeluz foram acionados pela população para verificar o corpo do animal encalhado na orla. Segundo o Instituto, o animal não apresentava vestígios aparentes do óleo cru que tem afetado o litoral do Nordeste desde o fim de agosto.

Foram observadas manchas de sangue na pata e na cabeça da tartaruga. No entanto, de acordo com a bióloga Liana Queiroz, elas podem não ser indícios de lesões, e, sim, do processo natural de decomposição do réptil.

O Ibama e o Instituto avaliaram a retirada do animal local, mas Liana Queiroz ressalta que a tartaruga só deve ser recolhida obrigatoriamente se estiver oleada, uma vez que o resíduo é considerado perigoso. “Quando é possível, se a tartaruga encalhou próxima de Fortaleza, a gente tenta pelo menos pegar o trato gastrointestinal, e, se conseguirmos o transporte, a gente leva também para necrópsia”.

Na quarta-feira (13), outra tartaruga encalhada foi encontrada com vida na praia de Morro Branco, em Beberibe, no litoral do Ceará. O animal também não tinha vestígios de óleo e foi transferido para a base do Ibama no Rio Grande do Norte.

Óleo no Nordeste

O mais recente relatório do Ibama, divulgado na quinta-feira (14), registra 578 locais em 114 cidades afetados pelas manchas de óleo que desde o final de agosto poluem a costa brasileira.

No Ceará, o relatório do dia 14 identificou vestígios em cinco locais.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.