Tartaruga-marinha é encontrada morta com ferimento no pescoço na praia de Boa Viagem, na zona sul do Recife

Tartaruga-marinha é encontrada morta com ferimento no pescoço na praia de Boa Viagem, na zona sul do Recife
Tartaruga-oliva foi achada em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife — Foto: Enio Miranda Junior/Reprodução/WhatsApp

Uma tartaruga-marinha foi encontrada morta na praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, na tarde deste domingo (5). O animal, da espécie conhecida como tartaruga-oliva, comum na região, apareceu na orla com um ferimento no pescoço, no limite com o bairro do Pina, de acordo com testemunhas.

O biólogo Carlos Matos estava na praia no momento em que a tartaruga apareceu. Ele disse que o animal foi levado para a areia pela maré.

“O pessoal que viu ela chegando, empurrada pela maré, disse que tinha uma corda de pesca enrolada no pescoço. Ela realmente está com uma cicatriz nesse local. Literalmente morreu enforcada”, afirmou.

Tartaruga-marinha foi achada com ferimento no pescoço na Zona Sul do Recife — Foto: Enio Miranda Junior/Reprodução/WhatsApp
Tartaruga-marinha foi achada com ferimento no pescoço na Zona Sul do Recife — Foto: Enio Miranda Junior/Reprodução/WhatsApp

Carlos Matos também afirmou que tentou ligar para a Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) e para o Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), mas ninguém atendeu.

“Não há nenhum órgão de meio ambiente de plantão para atender a esse tipo de chamada. Tem uma tartaruga-marinha morta e nenhum órgão que possa nem atender para recolher. Liguei para todos os números que consegui encontrar e ninguém atendeu”, declarou.

A prefeitura do Recife informou que a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) foi acionada e que o órgão enviou uma equipe ao local, para recolher a tartaruga.

Tartaruga-oliva

VÍDEO: Mais de cem tartarugas nascem em praia do Grande Recife

A tartaruga-oliva, de nome científico Lepidochelys olivacea, tem esse nome devido à cor esverdeada de seu casco, parecida com a de uma azeitona. A espécie é bastante comum no Nordeste brasileiro, principal região de desova do animal.

Em julho, mais de cem filhotes dessa espécie nasceram em Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife (veja vídeo acima).

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.