Tartarugas marinhas são encontradas mutiladas no litoral do Paraná

Tartarugas-marinhas são encontradas mutiladas no litoral do Paraná

Durante as atividades do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), a equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC/UFPR) encontrou nas praias de Pontal do Paraná, no Litoral do Paraná, várias carcaças de tartarugas marinhas mutiladas. Esta situação chamou a atenção de toda a equipe, pois os cortes indicavam o uso de faca de maneira “organizada”. Os animais recolhidos foram encaminhados para análise veterinária, onde foi confirmado o corte intencional para a retirada da carapaça, bem como da musculatura associada.

Segundo informações do laboratório, muitas vezes as tartarugas que caem em redes de pesca desmaiam e, apesar de parecerem mortas, elas não estão. O procedimento simples de deixá-las descansar e auxiliá-las a expelir a água seria suficiente para salvá-las. No entanto, se as pessoas acharem que o animal está morto, a mutilação poderia ter ocorrido com o animal ainda vivo.

Isso é crime – Fazer uso de recursos/partes (carne e carapaça) de espécies ameaçadas de extinção, mesmo de indivíduos mortos, infringe leis federais de proteção à fauna. A caça e consumo de ovos, carne e produtos derivados foi o principal impacto sobre as populações de tartarugas marinhas durante muitos anos culminando no declínio drástico das populações mundiais. Para algumas espécies, o comércio de produtos derivados da carapaça ainda é a principal ameaça às populações. No Brasil, a lei de crimes ambientais número 9.605 proíbe a captura, morte, coleta de ovos e molestamento de fauna silvestre. São previstas multas e pena de prisão para quem infringir a lei. No caso das tartarugas seria cabível uma multa de R$ 5.000 por animal/carapaça coletada.

Caso você aviste uma tartaruga, golfinho ou ave marinha morta ou debilitada entre em contato com a nossa equipe através do telefone: 0800 642 3341.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. 

O PMP-BS é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação/UFPR monitora o Trecho 6, compreendido entre os municípios de Guaratuba e Guaraqueçaba.

Fonte: Bem Paraná

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.