Tartarugas podem perder audição devido ao excesso de ruído subaquático

Tartarugas podem perder audição devido ao excesso de ruído subaquático
Foto: RODRIGO BUENDIA / AFP

Novas pesquisas mostram que as tartarugas podem sofrer perda auditiva temporária devido ao excesso de ruído subaquático. O fenômeno, observado anteriormente em outros animais marinhos, como golfinhos e peixes, não era amplamente compreendido em relação a répteis e ressalta outro risco potencial para as tartarugas marinhas. O alto volume de som, conhecido como poluição sonora submarina, pode ser causado pela passagem de navios e construções offshore.

Essas descobertas preliminares fizeram parte de um estudo, liderado pela Woods Hole Oceanographic Institution, apresentado no Encontro de Ciências Oceânicas 2022, nos EUA. “Nosso estudo é o primeiro a mostrar que esses animais são vulneráveis à perda auditiva subaquática após exposição a ruídos intensos”, disse Andria Salas, pesquisadora de pós-doutorado do WHOI e coautora do trabalho.

Acredita-se que as tartarugas marinhas confiem em seu senso de audição subaquática para a conscientização ambiental, como navegação ou detecção de possíveis predadores, e algumas espécies demonstraram usar comunicação acústica debaixo d’água. Estudos anteriores se concentraram nos efeitos do ruído excessivo em uma variedade de animais, de lulas a peixes e baleias, e em ambientes de água doce e salgada. Mas poucos trabalhos foram feitos sobre répteis.

Os resultados de agora fornecem a primeira evidência de perda auditiva induzida por ruído subaquático em espécies de tartarugas e sugerem que elas podem ser mais sensíveis ao som do que se pensava. “Mais da metade das espécies de tartarugas está ameaçada, e a poluição sonora é um estressor adicional a ser considerado enquanto trabalhamos para proteger esses animais”, destacou Salas.

Fonte: Diário de Pernambuco

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.