Tatu-galinha transportado ilegalmente por motociclista é resgatado pela PRF em Tianguá; vídeo

Tatu-galinha transportado ilegalmente por motociclista é resgatado pela PRF em Tianguá;  vídeo
O tatu-galinha foi levado para uma unidade do ICMBio em Ubajara. Foto: Divulgação/PRF

Policiais rodoviários federais que fiscalizavam a BR-222, em Tianguá, no Ceará, na tarde dessa segunda-feira (12), resgataram um tatu-galinha que estava sendo transportado irregularmente por um motociclista. O homem, de 33 anos, disse que comprou o animal silvestre na estrada, horas antes, de um estranho.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o homem afirmou que prontamente efetuou o pagamento e decidiu levar o animal para casa, enrolado em um saco. A prática é ilegal, conforme o artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais.

Após tomar consciência do crime, o homem foi encaminhado à unidade operacional da PRF e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) se comprometendo a comparecer em juízo quando determinado.

Pela lei, é proibido matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar espécimes da fauna silvestre sem a devida permissão, licença ou autorização das autoridades competentes, ou em desacordo com as obtidas.

Animal foi levado para Ubajara

O tatu-galinha foi entregue pelos policiais em uma unidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em Ubajara, a 16,5 quilômetros de distância de Tianguá.

O mamífero deve, agora, ser cuidado por especialistas antes se reintegrar à natureza.

Riscos à saúde

Além de ser ilegal o comércio de animais silvestres, o consumo da carne do tatu apresenta riscos à saúde humana. Segundo a PRF, diversas doenças e infecções têm sido relacionadas a essa interação.

Isso porque o tatu pode ser portador de parasitas e agentes patogênicos que representam perigos para o corpo humano, incluindo a transmissão de doenças como hanseníase, leishmaniose e doença de Chagas.

Fonte: Diário do Nordeste