Tatus do Pantanal são tema de exposição interativa em Corumbá, MS

Cinco espécies de tatus do Pantanal serão foco da exposição interativa que começa na próxima terça (15) na Estação Natureza Pantanal, localizada em Corumbá (MS). O objetivo é aproximar os animais dos visitantes, mostrando caraterísticas e curiosidades do tatu-galinha (Dasypus novemcinctus), tatu-peba (Euphractus sexcinctus), tatu-de-rabo-mole (Cabassous unicinctus), tatu-canastra (Priodontes maximus) e tatu-bola (Tolypeutes matacus), principais espécies encontradas no bioma. 

De forma leve e divertida, crianças e adultos poderão ter a experiência de como os animais vivem, já que a entrada da exposição será a reprodução de uma toca de tatu. O túnel levará a uma sala climatizada, simulando o efeito das tocas de tatus no Pantanal, pois estes abrigos possuem temperatura constante em torno de 25 graus. Nos dias quentes de verão as tocas são mais frescas que o ambiente externo, com temperaturas acima dos 40 graus, tornando-se por isso importantes refúgios térmicos.

As tocas são indispensáveis para esses animais e também admiráveis: no caso do tatu-canastra, que é maior dentre as espécies do bioma, elas podem chegar a 5 metros de profundidade. Como as espécies de tatu têm costume de abandoná-las após certo período, as tocas servem de abrigo para outros animais, como répteis, aves e outros mamíferos. Os visitantes poderão conhecer alguns deles, como seriemas, cachorros-vinagre, quatis, queixadas e jaguatiricas, que já foram registrados próximos ou entrando em tocas do tatu-canastra.

“A ideia é fazer com que o visitante se sinta mesmo dentro de uma toca de tatu e conheça mais sobre os seus hábitos”, explica a coordenadora da Estação Natureza Pantanal, Teresa Cardoso. Ela destaca que os tatus sofrem com a caça predatória e atropelamentos, por isso a importância de aproximá-los das pessoas.

A exposição é uma realização de uma empresa privada em parceria com a Embrapa Pantanal e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), contando com o apoio do Projeto Tatu-Canastra e do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). A instalação também é composta por cinco totens com imagens dos diferentes tatus que se acendem quando o visitante aperta um botão. Em cada um deles, será possível conhecer as principais características, hábitos e curiosidades de cada espécie. Serão apresentados ainda vídeos e fotos de câmeras-trap mostrando o comportamento das espécies em ambiente natural. As imagens foram cedidas pela pesquisadora Nina Attias da UFMS/EMBRAPA Pantanal – responsável pelo Projeto Tatus do Pantanal – e pelo pesquisador Arnaud Desbiez, coordenador do Projeto Tatu-Canastra.

Exposição Permanente

Além da exposição especial sobre os tatus, a Estação Natureza Pantanal também oferece uma mostra permanente sobre a natureza pantaneira. Localizada em Corumbá (MS) – a 400 quilômetros da capital Campo Grande – ela ocupa um prédio histórico datado de 1908, às margens do emblemático Rio Paraguai. O espaço representa uma verdadeira imersão no bioma pantaneiro, reunindo mais de duas dezenas de elementos interativos com explicações e fotos de espécies-bandeiras do bioma – como a onça-pintada, o tuiuiú e o jacaré-do-pantanal – e de seus habitats. Também é possível ouvir registros de canto e vocalização de aves típicas do Pantanal, além de conferir uma maquete que explica o ciclo das águas pantaneiras, entre outras atrações. A iniciativa foi implantada em 2006 pela empresa parceira.

Serviço

Endereço: Ladeira José Bonifácio, 111 – Porto Geral – Corumbá (MS).
Telefone: (67) 3231-9100
Horário de funcionamento:
De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.
Sábados, das 14h às 18h.
Ingressos
Inteiro: R$ 3Estudantes: R$ 1,50
Moradores de Corumbá e Ladário: R$ 1
Isentos: Maiores de 60 e menores de seis anos / grupos de instituições públicas agendados com antecedência.

Fonte: Correio de Corumbá

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.