RS tramandai taxistas cachorros 22e5 L

Taxistas de Tramandaí (RS) ajudam animais abandonados

O grupo de taxistas do Ponto localizado na Rodoviária de Tramandaí dá um exemplo de empatia e solidariedade todos os dias. Há cinco anos, eles cuidam dos cães de rua que aparecem no local e com a ajuda de voluntários oferecem, alimentação, abrigo, proteção, cuidados veterinários, castração e principalmente muito amor e carinho.

Hoje, os trabalhadores criaram um local que chamam carinhosamente de ‘Cãodomínio’, em que há casinhas de cachorro, doadas por voluntários, água e ração para os bicinhos. A ideia partiu do taxista Max Cley, 42 anos, que atua na área há 20 anos, ele conta que se solidarizou com a situação dos cães que passavam próximo a Rodoviária do Município sem ter para onde ir. “Comecei dando comida e cuidando para que outras pessoas não machucassem os cachorros”.

“Cada um faz a sua parte, todos ajudam e quem ganha são os animais”

Cinco casinhas já foram adquiridas com a ajuda de voluntários, os taxistas conseguiram também os potes de comida e água para os cães, no entanto, foram roubados logo depois de comprados. A ONG APATRA é uma parceira dos taxistas conseguindo castração gratuita e atendimento veterinário para os animais. “A APATRA nos ajuda muito, em tudo o que pode, o dr Joni também nos auxilia conseguindo consultas mais baratas porque conhece a nossa história e sabe que se trata de animais de rua. A clínica veterinária Amigos Pet, faz o tratamento de graça para o ‘Alemão’, nosso cachorro que está com câncer”, diz Cley, e ele ainda complementa, “cada um faz a sua parte, todos ajudam e quem ganha são os animais”.

“Sempre que falta algo nós fizemos uma vaquinha e compramos, sabemos que é para o bem dos cães”

Os taxistas Fábio de Matos Silveira, Luiz Carlos (mais conhecido como Jegue) e Luiz Hersh Machado (mais conhecido como Chucachuca) também auxiliam em tudo, levando os animais ao veterinário, dando banho, colaborando financeiramente para a alimentação e cuidado dos cães. “Sempre que falta algo nós fizemos uma vaquinha e compramos, sabemos que é para o bem dos cães”, diz Silveira. Os demais taxistas auxiliam dando carinho aos animais e cuidando para que ninguém tente roubar e danificar as casinhas.

Atualmente, quatro cachorros vivem no ‘Cãodomínio’ o Alemão, que enfrenta o tratamento para o câncer, a Alemoa, a Pretinha e o ‘Zorelha’, mas muitos outros animais já passaram pelo local e deixaram saudades. “A primeira cachorra que apareceu foi a ‘Mixarona’ logo depois veio o ‘Mixaria’. “Alguns foram embora, outros foram adotados, eles são cães de rua, estão acostumados a ser livres, por isso, nós não prendemos, eles vem e vão, mas enquanto estão aqui nós fizemos de tudo para que tenham uma vida melhor”, salienta Cley.

Fonte: Jornal Dimensão

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.