Temporada de calor excessivo pode até matar cães e gatos

Temporada de calor excessivo pode até matar cães e gatos

Por Isabela Lopes

Uma dica importante é sempre deixar os animais em locais sombreados e, caso fiquem dentro de casa, ligar o ventilador ou o ar-condicionado para amenizar a temperatura.

Com a chegada do B-R-O-Bró, não são somente as pessoas sentem desconforto com o aumento da temperatura. Cães e gatos também são bastante prejudicados com o calor e precisam de cuidado redobrado para que não passem mal ou até venham a óbito.

A veterinária Rebeca Maria explica que os animais de estimação sentem bastante calor, mas, diferente dos humanos, a transpiração, no caso dos cachorros, acontece pela língua. Este deve ser o primeiro sinal observado pelos donos ao presenciarem um cão arfando de maneira pesada.

“Principalmente em raças de focinho curto, como Puggle e Buldogue Francês, pois eles acabam tendo a respiração dificultada, sobretudo nesta época do ano, podendo até passar mal, já que hiper aquecem mais rápido e, se não forem atendidos com urgência, podem morrer de hipertermia. Mas claro, todas as raças merecem atenção redobrada”, frisa.

Uma dica importante é sempre deixar os animais em locais sombreados e, caso fiquem dentro de casa, ligar o ventilador ou o ar-condicionado para amenizar a temperatura. A água dos pets deve ser trocada várias vezes ao dia para que permaneça sempre fresca e agradável ao consumo.

“Se a gente, que não tem pelo, for para o local que o animal fica e estiver desconfortável, pode ter certeza que o cachorro fica desconfortá- vel também; então, é importante levar isso em consideração. De vez em quando, pode colocar gelo na água para deixá-la fresca por mais tempo ou oferecer ao cachorro para ele brincar”, cita a veterinária.

Passeios

Rebeca Maria salienta que se deve evitar passeios em horários mais quentes, quando a incidência da luz solar é maior. É preferível optar pelo final da tarde e início da noite e ficar atento com o começo da manhã, vez que, neste período, a temperatura começa a aumentar a partir das 7h.

“Em Teresina, até no come- ço da manhã, fica mais complicado, porque, às 7h, a temperatura já está bem quente; então, é melhor deixar para passear com o cachorro no começo da noite. Vale ressaltar que é preciso evitar as calçadas quentes, porque os cães não têm proteção. Quando for passear, a pessoa deve colocar o pé descalço no chão, se a temperatura estiver confortável para o indivíduo, então está confortável para o seu animal; se não estiver, para ele também não estará”, orienta Rebeca Maria.

Erros

Um erro muito comum para os donos de animais domésticos é molhar o bichinho com o objetivo de amenizar o calor. Isso deve ser evitado, segundo a veteriná- ria, vez que pode causar um problema de pele grave no cachorro. Os banhos diários também devem ser evitados, independente do clima.

“Cachorro não foi feito para tomar banho todo dia. Tomar banho de piscina pode, desde que supervisionado porque há riscos, mas depois é preciso molhá-lo c om água sem cloro e secá- -lo. Nunca deixá-lo molhado, porque isso pode causar alguns problemas para ele”, finaliza a veterinária Rebeca Maria

Fonte: Portal o Dia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.