Terminal é multado em R$ 450 mil por fazer operação com carga viva no Porto de Santos, SP

Terminal é multado em R$ 450 mil por fazer operação com carga viva no Porto de Santos, SP
Operação embarcou mais de 25 mil bois em navio no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) multou em R$ 450 mil o terminal Ecoporto, localizado no Porto de Santos, no litoral paulista, por operar atividades com animais vivos para exportação sem licença. Em janeiro, pouco mais de 25 mil bois foram embarcados na instalação para a Turquia.

Entre 26 e 31 de janeiro, o cais do terminal, na Margem Direita do complexo portuário, recebeu os bois que eram criados em fazendas no interior paulista, distantes 500 quilômetros do litoral. Os animais foram comprados pela Turquia e o embarque no navio foi suspenso por ordem judicial após ação de ativistas.

Trata-se da segunda operação com carga viva no cais santista após 20 anos. Pessoas ligadas à proteção animal alegam que os bois são vítimas de maus tratos. A prefeitura multou a empresa responsável pelos bovinos em R$ 1,5 milhão, com essa mesma justificativa e, depois, em R$ 2 milhões, por poluição ambiental.

Operação foi montada para o embarque de animais no Porto de Santos, SP (Foto: Renan Fiuza/G1)
Operação foi montada para o embarque de animais no Porto de Santos, SP (Foto: Renan Fiuza/G1)

Nesta quinta-feira (15), a Cetesb informou que multou o terminal por “realizar atividades de embarque de gado para exportação em desacordo com as licenças ambientais emitidas para o empreendimento”. Segundo a autoridade ambiental paulista, a empresa não tinha autorização da estatal para realizar a operação.

Ainda conforme a Cetesb, o Ecorporto foi autuado com base na Lei Estadual 118/73, que trata de licenciamento ambiental, e no Decreto Federal 6514/08, que dispõe sobre infrações e sanções administrativas relacionadas ao meio ambiente. A empresa informou que ainda não foi notificada sobre a penalidade.

Navio Nada é o maior para bovinos em operação no mundo (Foto: Fabio Mello Fontes/Arquivo Pessoal)
Navio Nada é o maior para bovinos em operação no mundo (Foto: Fabio Mello Fontes/Arquivo Pessoal)

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Multas que de fato JAMAIS serão cobradas/pagas, assim como as emitidas contra a Sammarco por ocasião do rompimento da barragem em Mariana e em tantos outros casos. Uma patética encenação daqueles que deveriam ter fiscalizado previamente e não o fizeram. Aí, a empresa multada coloca seu batalhão de advogados para protelar o pagamento até que as multas não possam ser mais cobradas. Ou mesmo que sejam alvo de alguma anistia gentilmente concedida pelos ‘ilibados’ gestores públicos. Dá nojo. De qualquer forma, o fato é que o tratamento dado aos animais é apenas um agravante diante da maior violência, que é o abate, seja ele halal, seja ‘humanitário’ ou qualquer outro. É momento supremo da covardia humana, em que se priva o animal de seu direito mais básico, que é o direito à vida.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.