TO: Vereador de Colméia responde a processo por participação em rinha de galo

TO: Vereador de Colméia responde a processo por participação em rinha de galo

Vereador Otaviano Correia do Prado, que foi indicado para ocupar cargo de secretário de Meio Ambiente do município, foi denunciado por crime ambiental. Ele supostamente mantinha local para rinhas.

O Portal T1 Notícias teve acesso ao processo no qual o vereador de Colméia, Otaviano Correia do Prado, conhecido como Irmão Otaviano (PSB), que foi indicado para ocupar cargo de secretário de Meio Ambiente do município, é suspeito de cometer crime ambiental por promover rinha de galo no município, junto com mais quatro pessoas. O local foi descoberto e o flagrante foi feito pela polícia após uma denúncia anônima.

Ao atender ao chamado sobre a ocorrência, a polícia encontrou no local um galo vermelho da raça índia, um galo preto de raça mestiça e quatro esporas de plástico fixadas nos pés das aves com fita adesiva. Os animais e os objetos foram apreendidos.

O fato teria ocorrido no último dia 3 de agosto. No local, segundo o Termo de Ocorrência, foi encontrada a rinha de galo. Os animais e os envolvidos, entre eles o vereador, foram encaminhados à Delegacia de Polícia onde prestaram depoimento e foram liberados.

Na audiência que ocorreu nesta semana, no último dia 19, o vereador e os outros envolvidos foram autuados por crime ambiental e ficou determinado que Otaviano pague uma multa de R$ 2 mil, que foram parcelados.

TO Otaviano

Defesa

O T1 Notícias entrou em contato com o vereador Otaviano, que alegou ser inocente, mas que resolveu se apresentar à delegacia para prestar depoimento e acatar a decisão “para resolver logo a situação”.

Segundo Otaviano, ele estava no local para fazer um negócio de venda de imóvel e enquanto aguardava a pessoa com a qual ia negociar, acabou acontecendo a briga entre os galos. Segundo ele, quando os policiais chegaram ao local, ele foi considerado envolvido. “Eu expliquei para o delegado a história como foi. Que eu estava lá tomando um refrigerante e depois a mulher chegou lá para eu fazer o negócio de uma casa, quando o flagrante aconteceu”, disse o vereador.  

Fonte: T1 Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.