Todos esses cavalos morreram na mesma pista de corridas na Austrália

Todos esses cavalos morreram na mesma pista de corridas na Austrália
Foto: Animals Australia

O cavalo de corrida caiu na linha de chegada. Ele havia machucado sua pata dianteira esquerda, fraturando o osso próximo à articulação do boleto, na base da sua pata.

As pessoas correram, segurando grandes lonas verdes para evitar que o público – bem como aqueles que assistiam à corrida na TV – vissem o cavalo com dor. Finalmente, as lonas caíram. O cavalo – chamado Red Cadeaux – havia ficado em pé e caminhado até o trailer da ambulância. O público vibrou, provavelmente acreditando que o cavalo iria ficar bem. Alguns dias depois, a Racing Victoria até anunciou que Red Cadeaux estava “confortável” e a sua fratura “estável” e que o Dr. Chris Whitton da Universidade de Melbourne acreditava que a fratura não estava “causando risco de vida”.

Então, algumas semanas depois, o público ouviu uma história diferente: agora a fratura na pata de Red Cadeaux era “irreversível” e ele foi eutanasiado em 20 de novembro de 2015.

O Red Cardeaux foi o quarto cavalo a morrer nos últimos quatro anos na famosa – de alguma forma infame – Copa Melbourne, corrida de cavalos australiana, que acontece todo mês de novembro. Em 2014, dois cavalos – Admire Rakti e Araldo – morreram após terem fraturas relacionadas à corrida. Em 2013, um cavalo chamado Verema foi eutanasiado na própria pista, embora lonas verdes impedissem que o público visse o que estava acontecendo.

Na copa desse ano, que aconteceu na última terça, nenhum cavalo morreu – mas muitas pessoas esperavam que sim. Na verdade, um comentarista australiano fez uma piada sobre qual cavalo tinha mais chances de morrer.

Enquanto muitas pessoas ficam chocadas com as mortes desses cavalos, a Copa Melbourne continua tendo um grande apelo – há festas de empresas, almoços regados à bebida e apostas. Cerca de cem mil pessoas foram pessoalmente à Copa Melbourne e milhões assistiram a ela na TV. A corrida também traz muito dinheiro ao estado australiano de Victoria. Em 2014, a corrida arrecadou aproximadamente 194,9 milhões de dólares australianos (cerca de 149 milhões de dólares americanos), de acordo com um relatório da indústria de corridas.

Foto: Animals Australia

Mas os cavalos pagam um preço alto por esse lucro – não apenas na Copa de Melbourne, mas em todas as corridas de cavalo australianas.

Em 2015, 132 cavalos morreram em corridas pela Austrália devido a fraturas recorrentes, de acordo com a Coligação para a Proteção dos Cavalos de Corridas. Isso é cerca de uma morte a cada três dias.

Quando os cavalos não podem mais correr, eles são “aposentados”, mas isso não significa que eles são enviados ao campo para pastar e tomar sol. “Aposentadoria” geralmente significa abate. Na Austrália, a carne de cavalo é usada principalmente na comida de cachorro, e parte é enviada à Bélgica ou França para consumo humano.

Não apenas cavalos de corrida “aposentados” são abatidos – cavalos jovens que não atendem às expectativas também são enviados para o abate. Por exemplo, se um cavalo é considerado “muito lento” ou “muito difícil de treinar” ou apenas não tem o perfil correto para corrida, ele muito provavelmente será enviado para o matadouro.

Mais de vinte e cinco mil cavalos australianos são sacrificados nos matadouros todos os anos, de acordo com a organização Animals Australia. E tem mais, os cavalos geralmente tem que ver seus amigos e familiares serem mortos enquanto esperam a sua vez.

O lado negro da corrida de primavera (Foto: Coalition for The Protection of Racehorses)

Nos E.U.A., cavalos de corridas não são tratados muito melhor. Em 2015 foram 484 fatalidades nas pistas de corrida, de acordo com o Jockey Clube Americano. Embora não haja matadouros de cavalos nos Estados Unidos, os cavalos são enviados para matadouros no México e no Canadá.

Não são apenas ex-cavalos de corrida que são sacrificados, é claro – qualquer cavalo considerado “sem valor” será enviado. Baseado em um relatório do Instituto Animal Welfare, 125.608 cavalos americanos foram enviados para matadouros no México e no Canadá ano passado.

Este ex-cavalo de corridas é um dos sortudos – ele está agora vivendo em um santuário (Foto: Freedom Hill Sanctuary)

A Copa Melbourne pode ter terminado este ano, mas as corridas de cavalos continuam o ano todo, tomando centenas de milhares de vidas. Para ajudar os cavalos na Austrália, você pode assinar esta petição ou doar para a Animals Australia. Você pode também apelar ao Congresso dos E.U.A. para que pare de exportar cavalos para matadouros.

Por Elizabeth Claire Alberts / Tradução de Carla Lorenzatti Venturini

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.