Tosquiador australiano confessa ser culpado de crueldade animal

Tosquiador australiano confessa ser culpado de crueldade animal
Foto: Reprodução Internet

Um tosquiador australiano se declarou culpado por maus-tratos contra os animais pela primeira vez na história do país, depois que a fundação PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) denunciou os maus-tratos aos quais são submetidos os animais nas fazendas de ovelhas.

Antes de apresentar as acusações conta o tosquiador, a PETA já havia divulgado vídeos onde era possível ver os trabalhadores australianos torturando os animais, batendo na cara das ovelhas com tosquiadoras elétricas, dando socos e pisando em suas cabeças e pescoços.

O Procurador Geral do Estado apresentou acusações contra o homem, que já está proibido de tosquiar e ter animais de fazenda sob sua responsabilidade por dois anos, e foi obrigado a doar 500 dólares para a RSPCA (Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals), associação que luta contra a violência animal.

A diretora de programas internacionais da PETA, Mimi Bekhechi, acredita que “não há dúvida de que a crueldade obstinada e injustificada aos animais estiveram juntas dentro dos galpões de tosquia na Austrália”. Bekechi acrescenta que isso deve servir como “uma advertência para todos os tosquiadores que maltratarem as ovelhas ou permitirem que outros o façam venham a enfrentar um processo judicial”.

A PETA, cujo lema em parte diz que “os animais não são nossos para serem usados como vestuário”, encoraja aos consumidores a optar por materiais não derivados do sofrimento animal.

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: Público

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.