Transtorno de acumulação é doença e pode ser tratado com especialistas

Transtorno de acumulação é doença e pode ser tratado com especialistas

Estudos mostram que o transtorno é mais comum entre mulheres idosas. Acumuladores de animais têm dificuldade em interagir com outras pessoas.

 Um grande número de casos de acumuladores de cães e outros animais chamou a atenção de pesquisadores da PUC do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Os profissionais decidiram fazer um estudo para descobrir quem são essas pessoas e porque elas fazem isso.

Tatiana Quarti Irigaray, psicóloga responsável pelo estudo, explica os sintomas do transtorno de acumulação: “o principal critério é a pessoa não conseguir se abster de recolher, de juntar objetos que para ela tem um grande valor, só que para as outras pessoas não existe um valor. Na acumulação de animais, ele se torna mais grave, porque estão acumulando vidas”.

Trinta acumuladores de animais foram identificados pelos pesquisadores, que agora tentam entender a causa do transtorno. “Alguns estudos também apontam que talvez sejam experiências traumáticas que as pessoas passaram na infância ou ao longo da vida”, diz ela. Outros estudos apontam que talvez as pessoas tenham dificuldades de interagir com outras pessoas.

Em outros casos, os acumuladores recolhem sucata, lixo ou objetos sem valor. Quando não recebem tratamento psicológico e psiquiátrico, os pacientes passam a viver em função deste acúmulo e perdem qualidade de vida.

O transtorno de acumulação é mais comum entres mulheres idosas. Geralmente, essas pessoas não reconhecem que têm o problema, o que provoca desentendimentos e problemas familiares.

Para denunciar um vizinho que esteja acumulando lixo ou objetos em sua casa, é necessário ligar para a prefeitura da sua cidade e comunicar o problema. Em caso de maus-tratos de animais dentro da residência, é preciso acionar a Polícia Militar pelo 190.

Caso necessite de orientação médica para um familiar ou amigo que esteja passando pelo transtorno de acumulação, busque ajuda na Unidade Básica de Saúde mais perto de sua casa. Nestas unidades, os profissionais darão encaminhamento adequado para especialistas, que podem ser psicólogos ou psiquiatras.

Fonte: Globo.com


Nota do Olhar Animal: Nem toda pessoa que tem muitos cães e gatos em sua residência é uma acumuladora. Muitas são pessoas solidárias que ajudam os animais. Neste caso, ao invés de denunciar, faça você alguma coisa, ajudando quem ajuda. Saiba sobre as diferenças entre acumuladores e protetores lendo o artigo PROTETOR NÃO É ACUMULADOR: CUIDADO COM ESSA CONSTRUÇÃO ESPECISTA!

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.