'Tratados como lixo': vídeo chocante mostra cabras baleadas na cabeça em fazenda

‘Tratados como lixo’: vídeo chocante mostra cabras baleadas na cabeça em fazenda

AVISO – CONTEÚDO VIOLENTO: Este é o momento chocante em que os cabritos são baleados na cabeça em um abate em massa e jogados em uma lixeira apenas alguns dias após o nascimento.

 

As imagens foram filmadas em uma fazenda de gado leiteiro vitoriana no dia 1 de setembro e obtidas pelo Yahoo News Australia, em meio a uma investigação sobre o impacto de ativistas de animais nas fazendas vitorianas.

Ele mostra um fazendeiro em um quadriciclo, rebocando um trailer cheio de cabritos brancos.

Um homem coloca uma pistola na cabeça de um cabritinho.

Ele estaciona seu veículo próximo a uma grande caixa de metal e, enquanto fuma um cigarro, caminha até os animais.

Ele pega casualmente um cabrito e atira na sua cabeça com um rifle de pressão.

Um a um, dez cabritos são sistematicamente abatidos e jogados no canto do trailer cheio de palha.

Enquanto os cabritos sobreviventes assistem, o fazendeiro retorna à pilha, remove um cabrito vivo e atira em outro.

O fazendeiro volta à cena e joga os cabritos mortos por cima do ombro na lixeira.

Um homem joga um cabritinho morto em uma lixeira.

“Não há transparência nessas indústrias”

Uma investigação sobre a legalidade de ativistas de animais que entram em fazendas e compartilham os vídeos que obtêm deveria continuar no Parlamento vitoriano durante a semana, quando ativistas de animais apresentassem seu caso.

A investigação, defendida pelos Partidos Liberais e Nacionais e apoiada pelo Governo Trabalhista de Victoria, examinará se as leis atuais impedem efetivamente os ativistas.

O impacto do ativismo pelos direitos dos animais na investigação da pecuária vitoriana está sendo realizado pelo Comitê de Economia e Infraestrutura e examina os possíveis danos à atividade ativista animal nas fazendas vitorianas.

Os termos de referência incluem o exame de multas para quem promove ou organiza a participação de atividades não autorizadas de ativismo animal.

No entanto, os ativistas querem que o foco volte aos direitos dos denunciantes para expor questões de interesse público.

O fazendeiro agarra outro filhote e aponta a pistola de ar para sua cabeça.-Fotos: Chris Delforce

Chris Delforce, diretor do grupo ativista Aussie Farms, disse ao Yahoo News Australia que forneceu anonimamente as imagens do abate de cabritos para destacar o que ele diz ser uma prática comum na indústria de laticínios.

Delforce disse que daria provas e pretendia apresentar as imagens do abate de cabritos.

“No contexto da investigação atual, pensamos que era realmente importante mostrar que é por isso que os ativistas são necessários”, disse ele.

“Sem ativistas que entram e capturam esse tipo de filmagem, o público não teria como saber o que acontece dentro das fazendas.

“Simplesmente, não há transparência nessas indústrias”.

“Ponto de partida”

O deputado do Partido da Justiça dos Animais de Victoria, Andy Meddick, disse estar preocupado com o fato de que o inquérito resulte em leis que “minem os denunciantes” e impeçam que imagens secretas sejam capturadas.

“É o ponto de partida. Uma vez que impedimos que os denunciantes avancem no setor pecuário, evita-se que eles avancem em outros setores”, disse ele.

“Não teríamos a comissão real para tratamento de idosos ou o setor bancário se não tivéssemos pessoas dispostas a denunciar essas coisas.”

Por  Michael Dahlstrom / Tradução de Maria Leticia Guerra Machado Coelho

Fonte: Yahoo News Australia 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.