Três galgos foram jogados em um poço seco de sete metros para morrer

Três galgos foram jogados em um poço seco de sete metros para morrer
Foto: Polícia Municipal Madrid

A Guarda Civil investiga o dono de uma propriedade de Osuna, na Espanha, após os bombeiros terem resgatado com vida três galgos que tinham sido jogados em um poço de sete metros de profundidade.

A investigação se iniciou quando a Guarda Civil teve conhecimento de que os bombeiros tinham resgatado três cachorros galgos que supostamente tinham sido jogados em um poço em um lugar do município de Osuna.

Ao que parece, um membro da sociedade de caçadores de Osuna escutou latido e uivos de uns cães e comprovou que os latidos vinham de um poço seco muito profundo, e ele avisou aos policiais e aos bombeiros. Estes últimos tiveram que descer no poço e içar os cães usando arreios. Os animais, que estavam com vida, foram entregues ao Seprona de Osuna que ficou responsável pela investigação.

Os agentes comprovaram que dois dos cães tinham microchip e o terceiro apresentava uma cicatriz no lado esquerdo do pescoço. Este último também tinha uma tatuagem na orelha esquerda, o que indica que se tratava de um cão federado para competições. Ao consultar o número da tatuagem com a Federação Andaluza de Caça, descobriu-se associado a um microchip.

Continuando com suas investigações, a Guarda Civil suspeita do tutor dos cães, que não tinha comunicado nem denunciado seu desaparecimento, e, além disso, ele também apresentava numerosos antecedentes e denúncias por diferentes causas. Por tudo isso, essa pessoa foi citada pela Guarda Civil e, uma vez confirmadas as suspeitas, será investigada como pressuposto autos de um delito de maltrato animal.

Os galgos são utilizados quase que em totalidade na caça esportiva, e ocorre a triste circunstância onde alguns caçadores tentam de desfazer de seus cães quando não são competitivos por não possuírem as supostas qualidades para competir, ou por tê-las perdido por motivos de idade ou lesões. Lamentavelmente, às vezes se desfazem de seus cães abandonando-os ou matando-os, ao invés de tentar colocá-los para adoção ou outras opções com mais compaixão e dentro da legalidade.

Neste caso, a finalidade do investigado não era outra a não ser causar uma morte cruel ao abandoná-los no interior daquele poço.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Andalucia Informacion

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.