Três histórias inspiradoras de animais que superaram todas as dificuldades e escaparam de uma vida em laboratório

Três histórias inspiradoras de animais que superaram todas as dificuldades e escaparam de uma vida em laboratório
Foto: Kirill Kurashov/Shutterstock

Não tem como negar que a história do avanço médico e tecnológico está cheia de histórias nunca contadas de animais que perderam suas vidas ou seu bem-estar durante o processo de testes em laboratório. Chimpanzés, beagles, ratos e camundongos são alguns dos mais conhecidos animais que historicamente vem sendo usados como objetos de teste pelas indústrias farmacêutica, cosmética e de alimentos.

Entre 70.000 e 75.000 cães são usados para pesquisa somente nos EUA a cada ano, com beagles sendo a maior parte desse número. Cerca de 100 milhões de ratos e outros roedores são mortos nos laboratórios norte-americanos a cada ano, após terem sido submetidos a uma amplitude de experimentos, que vão desde testes toxicológicos a testes psicológicos. Enquanto isso, os chimpanzés compartilham 90 por cento de seu DNA com os humanos, e já demonstraram as mesmas capacidades para compaixão, divertimento, amizade e sabedoria que são comumente exibidas em nossa espécie. Felizmente, muitas instalações de testes em chimpanzés ao redor dos EUA agora estão escolhendo libertar seus animais restantes, conforme métodos mais eficazes de pesquisa são descobertos e implantados.

De uma perspectiva científica, há razões suficientes para o ceticismo sobre o modelo de pesquisa animal para justificar o desenvolvimento de métodos alternativos. Na pesquisa biomédica, por exemplo, o uso de testes com animais limita nossa habilidade de entender por completo o desenvolvimento de doenças específicas dos humanos, devido às diferenças nas respostas anatômicas, bioquímicas e toxicológicas entre as espécies. A aspirina, por exemplo, que é comumente utilizada como um medicamento para aliviar dor por muitas pessoas ao redor do mundo, causa severos defeitos congênitos em roedores, cães, gatos e macacos.

Felizmente, a maré está virando contra os testes em animais e organizações que trabalham para dar vidas melhores aos antigos animais de laboratório estão se tornando cada vez mais comuns. Com uma combinação de educação, tecnologia refinada e muitos indivíduos dedicados, podemos ver um fim na desnecessária experimentação em animais ainda nesta geração.

As histórias inspiradoras de animais de laboratório resgatados abaixo – que conseguiram superar todas as dificuldade e aprender como confiar novamente – deixará claro exatamente porque testes em animais deveriam acabar o mais rápido possível.

  1. Nelly
Foto: FACEBOOK / Beagle Freedom Project

Nelly encontrou um lar através do Beagle Freedom Project, um grupo incrível que trabalha para salvar beagles que estão sofrendo nas mãos das indústrias que testam em animais. Em suas próprias palavras, Nelly teve um começo “horrível” em sua vida, já que ela foi “usada durante anos como um tubo de ensaio em um laboratório, foi mutilada, vendida, então abandonada, levou um tiro, e deixada para morrer com outros beagles assassinados em uma gaiola trancada na beira de uma estrada desolada na Flórida”. Este cenário é muito comum para os animais de laboratório.

E se isso já não fosse ruim o suficiente, seus resgatistas também descobriram que ela tinha um tumor não tratado crescendo perto de sua pata traseira. A recuperação de tudo isso parecia quase impossível, mas Nelly conseguiu superar e acabou encontrando um lar amoroso com Terri, uma mulher que adora a corajosa cachorra e fez todo o esforço possível para ajudá-la a se recuperar de seu trauma. Nelly agora possui sua própria página no Facebook, onde os fãs podem acompanhar seu progresso.

Infelizmente, a maioria dos cães não tem a mesma sorte de Nelly, e são eutanasiados logo após sua utilização em laboratórios. A boa notícia é que existem muitos grupos de resgate de beagles dedicados pelos EUA dedicados a garantir que esses poucos cães sortudos que foram aposentados do laboratório possam receber a chance de experimentar um lar amoroso. Os contos felizes destes cães que conseguiram um novo lar com sucesso por meio destas organizações é um testamento da importância de seu trabalho. Se você nunca testemunhou a alegria sem fronteiras de um cão que acabou de descobrir que grama macia, ar fresco e luz natural realmente existem, você precisa conferir este vídeo agora!

  1. Sete Lindos Ratos
Foto: Join Rats

Estes sete ratos (quatro dos quais estão na foto acima) tiveram a sorte de serem resgatados de uma vida em laboratório e encontraram um lar com uma mulher chamada Karen. Seus nomes, Sevnee, Levnee, Ate, Tennie, Tweneefor, Therdyfor e Therdeeate, são uma brincadeira com os números que foram designados para eles quando eram ratos de laboratório: sete, onze, oito, dez, vinte e quatro, trinta e quatro e trinta e oito.

Quando eles chegaram ao seu novo lar, suas verdadeiras personalidades puderam emergir, e eles não eram mais vistos como nada mais além de um número. Assim que eles conheceram seu novo humano, foi amor à primeira vista para todos os envolvidos! Sua inteligência e comportamento cheios de afeição provam que, ao contrário do que os estereótipos gerados pelos humanos, estes animais são mais do que capazes de se tornarem animais de estimação muito amados pelas suas famílias.

  1. Elway
Foto: Save The Chimps

Este chimpanzé resgatado, que atualmente vive no santuário Save The Chimps (STC) em Fort Pierce, nasceu no laboratório de pesquisa da Fundação Coulston em Alamogordo, Novo México, em 21 de maio de 1999. Logo após seu nascimento, ele foi separado de sua mãe, Melissa, e preparado para sua vida como um animal de laboratório, juntamente de um grupo de outros chimpanzés bebês. Durante seu tempo em Coulston, Elway foi anestesiado a cada mês para retirar uma amostra de sangue. Entretanto, a instalação de pesquisa foi tomada pelo STC em 2002. Ele rapidamente se tornou um membro da “Família da Alice”, o apelido dado pelo STC para um grupo de chimpanzés que foram todos resgatados da instalação de pesquisa. Hoje, os cuidadores do STC o descrevem como “um chimpanzé esperto e travesso”, e todo mundo no santuário concorda que ele é “irresistível”.

Um Futuro Melhor para os Animais

As histórias desses animais indicam que cada um deles possui sua própria personalidade, seus desejos e uma vontade de viver que merece ser respeitada. Apesar de nós podermos ter crescido acostumados a ver membros de outras espécies como objetos descartáveis, para serem usados e descartados conforme nossa vontade, não há nenhuma necessidade para que esta situação continue. Muitas alternativas aos testes com animais vêm emergindo nos últimos anos, baseadas em observação clínica de pacientes humanos, no uso de pesquisa in vitro com tecido humano, modelagem em computador, supervisão de drogas humanas e autópsias, isso falando somente sobre alguns métodos. Organizações pioneiras como a Dr. Hadwen Trust e a Sociedade Americana Anti-Vivissecção estão ajudando esses avanços a irem em frente e encorajam o fim gradual dos testes com animais. Isto – junto com um número de vitórias jurídicas recentes de grupos de defesa animal– indica que o teste com animais pode logo se tornar uma coisa do passado!

Por Aisling Maria Cronin / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.