Tubarão encalha e banhistas devolvem animal à água no litoral do Piauí

Tubarão encalha e banhistas devolvem animal à água no litoral do Piauí

O vídeo de um tubarão-lixa ou lambaru encalhado nas areias de uma praia no município de Luís Correia viralizou nas redes sociais. Na imagem, banhistas tentam devolver o animal para a água. O caso aconteceu no último sábado (01) na Praia do Coqueiro, um destino muito escolhido pelos turistas que frequentam o litoral do Piauí.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por TV Cidade Verde (@tvcidadeverde)

Segundo a Professora Doutora Edna Cunha, do Curso de Engenharia de Pesca da Universidade Federal do Delta do Parnaíba UFDPar, o comportamento não é normal e demonstra que ele pode estar ferido ou doente.

“Não é normal, porque ele é um animal subaquático e o normal é ele estar submerso. A primeira imagem daquele vídeo eu observei a parte ventral do animal então me parece que aquela coloração avermelhada no abdômen possa ser de algum processo hemorrágico. Então, ele pode estar doente e ferido, quando estão assim eles se aproximam e eles podem encalhar” ressalta a professora.

O tubarão-lixa, ou Ginglymostoma cirratum, faz parte da fauna de peixes do litoral piauiense. Ele é característico pela cabeça larga, achatada e boca, também possuem olhos e dentes pequenos. E chegam a no máximo 3,08 metros, sendo as fêmeas, as maiores.

“Nesse caso não dá para precisar qual o problema. Mas normalmente o animal pode encalhar morto ou doente. Com a continuidade do vídeo é possível ver que as pessoas conseguiram voltar ele pra água e ele submergiu. Nesse processo, ele pode ter sido predado por outro peixe, ou ele pode ter morrido e voltar a encalhar em outra praia” descreve Edna Cunha.

É importante ressaltar que o manejo de um animal desses pode representar um risco para as pessoas ao redor. No vídeo, é possível ver que muitos populares chutam o tubarão por medo de tocar o animal e depois pegam pela cauda e conseguem devolver a água.

Segundo afirmou Cezar Fernandes, professor de engenharia de pesca da UFDPAR, em entrevista à TV Cidade Verde, o correto é fazer o manejo pela cauda para evitar que o tubarão consiga morder e ferir alguém.

Por Marina Sérvio

Fonte: Cidade Verde