Turbina eólica inteligente reduz até 80% das mortes de aves; veja como

Turbina eólica inteligente reduz até 80% das mortes de aves; veja como
O sistema detecta e rastreia as aves e desacelera os rotores da turbina para evitar acidentes. Imagem: Marijs Jan/Shutterstock Kiosked

Uma questão que ainda levanta críticas contra o uso de turbinas eólicas são as mortes de aves. A boa notícia é que pesquisadores noruegueses encontraram uma forma de reduzir drasticamente o número de vítimas. A resposta? Um sistema que deixa as turbinas mais inteligentes.

A ideia é de uma equipe de especialistas do SINTEF e do Centro Norueguês de Pesquisa Energética Favorável ao Meio Ambiente.

Turbina eólica controlada por software

Cada turbina terá câmeras capazes de detectar pássaros voando diretamente na direção dos rotores.

Um software chamado SKARV calculará automaticamente a trajetória prevista das aves e enviará sinais de controle para desacelerar as pás, diminuindo o risco de colisão.

Em simulações, o SKARV consegue evitar a maioria das colisões com pássaros que se movem em uma trajetória previsível — vindo em direção à turbina de frente e avistados com pelo menos cinco segundos até o impacto.

O sistema pode ser configurado para desligar completamente as turbinas se muitos pássaros se aproximam ao mesmo tempo — embora a equipe observe que pode levar até 20 segundos para uma turbina grande parar a partir de uma velocidade de rotação normal.

É claro que isso ainda não resolve todas as situações. Isso não impedirá a colisão se as aves vierem voando pelas laterais ou se estiverem circulando ao redor da turbina, por exemplo. É o que explica Paula B. Garcia Rosa, uma das especialistas por trás do novo sistema.

É difícil prever a trajetória de voo de uma ave e o novo sistema não resolverá totalmente este problema (…) se uma ave jovem e inexperiente se aproximar de uma turbina com comportamento de voo irregular, não será possível prever exatamente onde estará alguns segundos depois. A previsão também é mais difícil se vários pássaros se aproximarem ao mesmo tempo. Paula B. Garcia Rosa, ao New Atlas

Confira abaixo um vídeo que mostra como a tecnologia funciona. A novidade deve estar disponível para uso comercial em até cinco anos.

“Com base nas nossas simulações, acreditamos que o projeto SKARV pode ajudar a reduzir o número de colisões fatais em até 80%”, diz a especialista. O próximo passo é integrar métodos para identificar mais trajetórias de voo das aves antes de uma demonstração prática, conclui a pesquisadora.

Quantas aves morrem por colisão com turbinas eólicas?

  • Atualmente, é difícil determinar exatamente quantos pássaros morrem ao voar em direção as grandes pás giratórias.
  • Enquanto alguns pesquisadores dizem que alguns pássaros estão aprendendo a evitar turbinas por conta própria, a American Bird Conservancy estima que um milhão de aves morrem por ano só nos Estados Unidos.
  • Parece muito, mas, para efeito de comparação, 5,5 milhões de pássaros morrem anualmente no país ao atingir acidentalmente linhas elétricas.

Por Gabriel Sérvio

Fonte: Olhar Digital

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.