Tutor encontra cão ferido após fogos de artifício assustarem o animal, em Lages, SC

Tutor encontra cão ferido após fogos de artifício assustarem o animal, em Lages, SC
O Golden Retriever Mike, de 2 anos, se machucou após ficar assustado com fogos de artifício no Natal (Fotos: Marcelo Machado)

O produtor de vídeos Marcelo Machado, de 44 anos, passou o maior susto com seu cãozinho por conta de fogos de artifício disparados próximo a sua casa em Lages, Santa Catarina, na tarde de Natal.

O golden retriever Mike, de 2 anos, ficou tão descontrolado com o barulho que machucou a pata esquerda a ponto de perder uma das unhas. O quintal da casa acabou todo ensanguentado. Machado relatou o ocorrido em uma postagem no Facebook que já foi compartilhada mais de 45 000 vezes.

O chão com marcas de sangue 
O chão com marcas de sangue

“A gente se sente culpado, mas fiz de tudo para evitar isso, tanto é que na virada para o Natal eu deixei de passar com os meus amigos para ficar em casa com ele por causa dos fogos”, contou a VEJA SÃO PAULO. “Porém, eu jamais poderia imaginar que soltariam ainda mais fogos no período da tarde e nesse horário eu tinha saído para almoçar.”

O cão feriu a pata esquerda e rastros de sangue ficaram pela casa 
O cão feriu a pata esquerda e rastros de sangue ficaram pela casa

Machado conta que estava fora de casa das 11h às 13h e quando chegou ficou incrédulo com tanto sangue. “Foi uma cena horrível, com manchas nas paredes e portas”, conta. Ele enfaixou a pata do animal e o levou imediatamente a um veterinário, que fez um curativo e o medicou.

“Ainda bem que não foi nada grave e agora ele está bem, mas o triste também foi ver a fila de cinco animais feridos para serem atendidos pelo mesmo motivo: fogos de artifício”. Abaixo, a postagem dele no Facebook.

Dicas

Os pets costumam sofrer com o estardalhaço dos fogos de artifício, por isso é importante protegê-los nessa época de festas de fim de ano. Esses animais têm audição muito mais sensível do que a dos humanos, explica o veterinário Eduardo Pacheco. Ele recomenda isolá-los no ambiente mais calmo da casa.

Fechar os vidros e, caso achar necessário, colocar algodão em seus ouvidos. Se o cachorro ficar no quintal na hora dos fogos, ele poderá tentar fugir e se machucar. Em situações mais graves, o bicho chega a ter convulsões. Calmantes só devem ser dados com recomendação veterinária, porém florais costumam ajudar.

Por Adriana Farias 

Fonte: Veja 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.