Tutora de cadela morta por idoso com foice muda rotina: ‘Foi minha culpa’

Tutora de cadela morta por idoso com foice muda rotina: ‘Foi minha culpa’
Lassie foi morta a golpes de foice após se aproximar de idoso. (Foto: Veronica Rodrigues / Arquivo Pessoal)

A tutora da cadela que foi morta a golpes de foice em Itanhaém, no litoral de São Paulo, tem receio que o idoso acusado de ter cometido o crime tente fazer algo com os outros cães dela. Veronica Rodrigues de Oliveira afirma que mudou sua rotina desde o dia do crime e se sente culpada pela morte do animal.

O crime aconteceu no dia 24 de outubro deste ano no bairro Gaivota. A cadela Lassie, que estava acima do peso e se locomovia com dificuldades, foi farejar a bicicleta de um idoso que passava pela rua e acabou sendo atacada por ele. A tutora do animal diz que estava esperando a filha adolescente chegar da escola. Ela varria a rua e vigiava seus cães, Lassie foi morta.

Tutora de Lassie diz que não deixará suspeito ficar impune. (Foto: Veronica Rodrigues/Arquivo Pessoal)
Tutora de Lassie diz que não deixará suspeito ficar impune. (Foto: Veronica Rodrigues/Arquivo Pessoal)

A profissional de relações públicas relata que o agressor carregava uma foice nas costas. Após notar o que havia ocorrido, ela usou uma vassoura para impedir que o idoso atacasse seus outros animais, que tentaram partir em defesa da tutora, mas foram impedidos por ela, que temia pela segurança deles.

Em entrevista concedida ao G1 nesta sexta-feira (11), Veronica afirmou que o idoso não voltou mais à rua, mas ainda tem medo de que ele possa retornar devido à repercussão que o caso ganhou por meio das redes sociais.

“Temos medo de uma represália porque ele está sabendo que não paramos com a ação. Estamos lutando para que ele seja responsabilizado. Temo que ele envenene meus cães que ainda estão aqui, que ficam no meu quintal e na minha casa”, conta.

Devido ao crime, Veronica diz que mudou sua rotina completamente e agora passa a maior parte do tempo acompanhada de alguém quando precisa soltar os cães.

“Como eu tenho uma rua muito deserta, sempre olho muito bem antes de soltá-los. Agora, só faço isso com meu marido do lado. Eles não ficam mais soltos o tempo todo e rapidamente os coloco de volta para casa. O que ele (idoso) fez com a Lassie foi premeditado e foi minha culpa. Não deixamos mais a casa sozinha e meus cães dormem dentro de casa”, afirmou.

No dia do crime, a polícia foi acionada e os agentes registraram um boletim de ocorrência antes dos PMs terem ido até a casa do suspeito, que afirmou ter sido ferido pela mulher. O crime chamou a atenção de diversas associações protetoras de animais e acabou sendo divulgado por meio das redes sociais, onde um abaixo-assinado online tem reunido assinaturas para que o Ministério Público abra um inquérito para que o suspeito seja localizado pelas autoridades e punido pelo crime. Até o começo da noite desta sexta-feira, o abaixo-assinado já reunia mais de 30 mil assinaturas.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.