Tutora de cão envenenado registra caso em delegacia de Vila Velha, ES

Tutora de cão envenenado registra caso em delegacia de Vila Velha, ES

Ela encontrou um pedaço de frango com veneno para rato no condomínio. Seis cachorros já foram envenenados no prédio.

Por Leandro Tedesco

ES VilaVelha delegacia

Uma das tutoras dos cachorros envenandos em um condomínio em Vila Velha, na Grande Vitória, registrou um boletim de ocorrência nesta quinta-feira (13).

A empresária Évila Moreira encontrou um pedaço de frango com veneno para rato e foi até a delegacia registrar a situação. A cachorra dela foi envenada durante um passeio, não resistiu e morreu.

“Estava passeando com ela no condomínio quando vi que ela comeu algo do chão. Depois de 10 minutos ela começou a passar mal e eu corri para o veterinário, mas não deu tempo. Ela faleceu 1h30 depois e o veterinário disse que todos os sintomas apontam para envenanamento”, conta a empresária.

O delegado de proteção ao meio ambiente e pratrimônio cultural, Wanderson Prezotti, explica que muitas vezes o envenamento de animais de estimação acontece por acidente, quando eles acabam ingerindo um rato que foi morto envenenado na tentativa de controlar pragas.

Mas ele também afirma que casos de envenamento proposital também são comuns. “Existe sim essa situação, não é raro. Isso acontece mais entre briga de vizinhos e as pessoas, ao invés de buscar uma solução sadia, partem para o lado trágico da situação”, explica.

Nesse caso, o responsável pelo envenanemento pode responder pelo crime de maus-tratos aos animais. A pena varia de 3 meses a 1 ano de detenção, além de pagamento de multa.

Outros casos

Além da cadela de Évila, outros cinco animais foram envenenados no mesmo condomínio, no bairro Itapõa. Segundo os donos, os animais foram intoxicados enquanto passeavam pelas ruas próximas ao local que vivem.

A suspeita é que os animais estão sendo intoxicados com ‘chumbinho’, um veneno utilizado para exterminar ratos.

Os moradores afirmam que alguém tem colocado o veneno dentro de pedaços de alimentos, como o pedaço de frango que foi encontrado pela empresária, que continha o raticida.

O veterinário Guilherme Brêtas trabalha na clínica que atendeu todos os cinco animais intoxicados.

Ele confirma a suspeita de que os animais estão sendo intoxicados com chumbinho e faz um alerta sobre os riscos desse veneno, não só para os animais: “Se uma criança, em uma pracinha, toca isso e leva a mão à boca, nós podemos ter uma tragédia”.

Um caso semelhante já foi denunciado à reportagem por moradores do bairro Jardim Camburi, em Vitória, no final de junho deste ano.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.