Tutora de gato ‘espetado’ em portão de escola mantém ONG para salvar animais

Tutora de gato ‘espetado’ em portão de escola mantém ONG para salvar animais
Gata foi encontrada morta em portão de escola (Foto: Coxim Agora)

Aos prantos, depois de ter a gata ‘espetada’ no portão de uma escola da cidade de Coxim, distante 253 quilômetros de Campo Grande, a protetora de animais Márcia Altafini, de 36 anos, se disse revoltada com a situação.

A responsável por uma ONG Adote um Bichim Coxim disse ao Jornal Midiamax que a gata, chamada Hanna, tinha sido resgatada por ela há dois anos, e que o bichinho era manso e dócil. O animal era da mãe de Márcia, que está inconsolável com a crueldade.

Márcia disse que uma testemunha teria visto um homem conhecido por ‘Neguinho’, e que teria problemas mentais, amarrar um cadarço no pescoço de Hanna e a rodar no ar. Em seguida, ele teria ‘espetado’ o gato no portão da escola.

“Ele (Neguinho) tem problemas mentais e na delegacia quando fui fazer o boletim de ocorrência fui informada que não poderiam fazer nada, já que na cidade não existe clínica para este tipo de paciente, e que não poderiam prender ele”, disse a protetora.

Márcia é microempresária e faz o resgate de animais de rua. “Tenho um brechó e todo lucro é destinado para os animais que resgato”, disse. Ela que é tão apaixonada por animais como diz tem em sua residência 13 gatos e uma cadela.

Ainda segundo ela, o autor já teria se envolvido em várias confusões pela cidade. “Eu estou arrasada e espero que alguma coisa seja feita, antes que ele faça outra crueldade como esta”, finaliza.

Crime

O artigo 32 da Lei Federal 9.605/98 prevê pena para quem praticar maus-tratos contra animais.

‘É considerado crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticáveis, nativos ou exóticos.

Pena – Detenção de 3 meses a 1 ano e multa’

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.