Tutora de pit bull morto após ser esfaqueado e espancado por policial aposentado fala sobre crime: 'Situação tenebrosa'

Tutora de pit bull morto após ser esfaqueado e espancado por policial aposentado fala sobre crime: ‘Situação tenebrosa’

A tutora do cachorro da raça pit bull, que morreu após ser esfaqueado e espancado com uma barra de ferro por um policial militar aposentado, em Mirassol (SP), afirmou que a situação em que seu animal de estimação morreu foi “tenebrosa”.

O caso aconteceu na Avenida Eliezer Magalhães, na manhã desta quinta-feira (31). Uma câmera de segurança registrou o momento em que o animal foi morto (veja abaixo).

O suspeito foi levado à delegacia, mas foi liberado depois de prestar depoimento e alegar ter se defendido dos ataques do cachorro. A Polícia Ambiental lavrou um auto de infração e aplicou uma multa no valor de R$ 6 mil.

Segundo a dona do cachorro, Rosineide dos Santos Costa, o animal escapou da casa da família enquanto o irmão dela tentava entrar no imóvel, na noite de quarta-feira (31).

“A gente começou a procurá-lo, mas não encontramos. Hoje, nós tivemos a notícias de que ele havia sido agredido até a morte. É uma situação tenebrosa porque a pessoa que fez isso tem cachorro e deveria ter amor próprio”, afirma a enfermeira.

Ainda de acordo com Rosineide, o cachorro não apresentava um comportamento agressivo e convivia diariamente com crianças.

“Ele era dócil. Estamos horrorizados pela situação que ocorreu. A cidade inteira está assustada com o que o homem fez com ele”, diz a mulher.

“O que todo mundo está assustado é que ele foi para casa dele, pegou as armas, retornou e matou meu cachorro”, ressalta.

‘Não tinha necessidade’

Uma testemunha que preferiu não ter a identidade revelada com medo de sofrer represálias passava pela Avenida Eliezer Magalhães no momento em que as agressões aconteceram.

“Eu pensei que fosse uma pessoa adestrando o cachorro. Quando me aproximei, percebi que era um homem matando. Ele estava armado com facão, lança e outros objetos. Ele foi com a intenção de matar”, afirma a mulher.

Homem foi flagrado agredindo cão em avenida de Mirassol. — Foto: Arquivo Pessoal

Depois de presenciar a cena, a mulher seguiu o policial militar até a casa dele e tirou diversas fotos. O cachorro precisou ser sacrificado por causa dos graves ferimentos que sofreu.

“Meu filho passou mal e perdeu a aula por causa da cena que viu. Eu acho muito injusto. Não tinha necessidade de ter feito o que fez”, diz a testemunha.

Investigação

Segundo informações da Polícia Militar, o homem alegou que estava caminhando com o cachorro dele pela Avenida Eliezer Magalhães quando foi atacado pelo pit bull, que estava solto na rua.

Ele fugiu dos ataques e foi para casa onde mora. No entanto, ao sentir falta do celular, o policial aposentado voltou ao local armado com um facão, uma barra de ferro e outros objetos.

Ainda de acordo com a PM, o homem foi atacado novamente pelo animal e revidou com golpes de facão e barra de ferro.

Suspeita de matar o pai foi levada para a delegacia da Polícia Civil de Mirassol (SP) — Foto: Reprodução/ TV TEM

A polícia abriu inquérito para investigar a cautela do animal que estava solto e a conduta do homem que matou o cachorro.

“No inquérito policial vamos ouvir todos os envolvidos, as testemunhas para saber se houve excesso. Esse animal na via pública se não for adestrado é semelhante a uma fera. Quem tem animal desse porte é preciso ter cuidado”, afirma o delegado Jairo de Freitas.

A TV TEM tentou falar com o homem que agrediu o cachorro, mas não conseguiu contato.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.