Tutores abandonam cães em clínicas após agendarem serviços e darem nomes falsos

Tutores abandonam cães em clínicas após agendarem serviços e darem nomes falsos

O abandono de cães em clínicas veterinárias é cada vez mais comum na região de Campinas (SP). Segundo os veterinários, quem abandona segue uma rotina de telefonar, agendar banho e depois não voltar para buscar os animais, muito menos para pagar pelos serviços.E o mais grave, eles dão dados falsos de nome e documentos. O abandono de animais é crime, com pena de seis meses de prisão e multa.

A veterinária Letícia Domingues conta do caso de uma mulher que chegou com dois cães, com menos de 3 meses de idade cada um, que agendou os serviços e não voltou mais.

Cão abandonado em clínica veterinária de Campinas (Foto: Reprodução EPTV)

“Fizeram um agendamento de banho e deram todos os dados falsos do CPF e RG. Quando ficou pronto [serviço] ligamos no telefone e deu número inexistente. Fomos até a casa e o endereço não existia“, lembra a veterinária.

As câmeras de monitoramento do estabelecimento registraram tudo. As imagens mostram a mulher entrando no pet shop com os dois cães no colo. Depois de passar os dados falsos, ela vai embora.

“Se ela tivesse me falado: Letícia, o que eu faço? A recepção seria a mesma e muito melhor”, afirma a veterinária.

“Ela agiu na má fé! Nós não somos responsáveis por isso”, conclui a médica veterinária.

Em outra clínica, o cão “Pipoca” foi abandonado recentemente da mesma forma. A proprietária do estabelecimento ,Andréia de Camargo, disse que uma moça entrou e fez agendamento de banho, mas era época de carnaval, o que pode explicar o abandono, segundo ela.

”Eu acho que ela adotou no impulso e depois não tinha condições de deixar em um hotel, e queria viajar”, opina.

Para o presidente da Associação dos Amigos dos Animais de Campinas, Flávio Lamas, o abandono, além de crime , é uma prática condenável.

“Não faz bem para quem abandona e nem para o animal”, lamenta ele.

Ele da orientações para quem tem animal e perdeu as condições de cuidar. “Uma delas é procurar as entidades de proteção, os protetores independentes, e a Prefeitura”, explica.
Ele lembra ainda que existem entre cinco e seis ferinhas de adoção todos os fins de semana, e os animais podem ser levados para elas para que interessados adotem.

Assista ao vídeo clicando aqui.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.