Tutores de cachorros mortos com insulina em Magé (RJ) prestam depoimento à polícia

Tutores de cachorros mortos com insulina em Magé (RJ) prestam depoimento à polícia
Na foto, Wesley Rapouzo que perdeu dois pets saindo da 65 dp Magé .Foto Cléber Júnior/ Extra Foto: Luis Alvarenga / Agência O Globo

Diversos tutores que perderam os cachorros após a aplicação de insulina no lugar da vacina antirrábica em um posto de saúde em Santo Aleixo, em Magé, prestaram depoimento na 65ªDP (Magé) esta tarde. Os funcionários do posto de saúde ainda não foram ouvidos. O grupo de tutores se reuniu na manhã desta quinta-feira e compareceu à delegacia por iniciativa própria.

Segundo a delegada titular da unidade, Isabelle Conti, os funcionários ainda vão ser chamados a depor, e se for comprovado que houve intenção de quem trocou a vacina pela insulina, a pessoa pode responder por crime contra a fauna, previsto na lei de crimes ambientais.

— A grande dificuldade é que essa lei pune a pessoa que pratica uma conduta com intenção. Então, quando ela pratica um resultado danoso porque foi negligente, a lei não se aplica. Ela ainda pode responder civilmente, administrativamente. Mas, se houver a comprovação de que pelo menos ela previu a possibilidade daquilo acontecer, de haver a confusão e não se importou, aplicou mesmo assim, ela pode responder por dolo eventual — explica.

Isso significa que a pessoa assumiu o risco de causar danos, no caso. Onze cachorros morreram depois de tomarem injeção de insulina de uso humano durante a campanha de vacinação contra a raiva no posto USF Britador no último sábado. A informação de que a substância aplicada se tratava de insulina e não da vacina antirrábica foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde na última quarta-feira.

Segundo a Prefeitura de Magé, ao todo, 20 animais precisaram de atendimento veterinário e um está internado. Tutores dos cachorros mortos relataram que os animais começaram a convulsionar menos de uma hora depois da aplicação da substância e morreram no mesmo dia.

De acordo com a prefeitura de Magé, seis funcionários foram afastados dos cargos na clínica de saúde e o município vai arcar com os custos das clínicas veterinárias que realizaram o atendimento aos animais.

Um grupo de cerca de dez tutores dos cachorros que morreram após a aplicação da insulina se articula para buscar providências na justiça. Como o inquérito policial ainda não foi concluído, ainda não é possível dizer quem deve responder pelo erro, mas eles buscam reparações.

Por Isabela Aleixo

Fonte: Extra

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.