Tutores só deixam casas alagadas no RS se puderem levar animais, relatam autoridades

Tutores só deixam casas alagadas no RS se puderem levar animais, relatam autoridades
Tutores não querem deixar animais para trás no RS. Foto: Mardélio Couto / Itatiaia

Autoridades do Rio Grande do Sul têm encontrado dificuldades para tirar moradores das casas alagadas. Isso porque muitos deles só aceitam deixar as casas após receberem a notícia de que poderão levar os animais de estimação na embarcação.

Até o momento, forças de segurança e voluntários já resgataram mais de 10 mil animais em meio à inundação no estado. Segundo o balanço mais atualizado da Defesa Civil, foram resgatados 9.984 animais.

São cães, gatos e até animais de grande porte, como o cavalo Caramelo que foi resgatado de cima de um telhado após ficar dias ilhado.

Há abrigos que se oferecerem para receber os animais ao lado dos seus donos. Com mais estrutura, os abrigos querem evitar que o tutor fique longe do seu animal de estimação.

A Itatiaia esteve em um desses abrigos. A área animal foi construída em uma quadra de esporte da Igreja Batista Brasa, que fica na zona norte de Porto Alegre.

“A igreja se tornou um centro de acolhimento. A gente vive esse sentimento solidário do povo gaúcho”, disse o pastor Ricardo Glavam.

No abrigo, os animais passam por triagens e recebem atendimento veterinário. Se eles estiverem com problemas leves e médios, ele são medicados e permanecem no abrigo. Se a situação for mais grave, os pets são levados para clínicas veterinárias parceiras para terminar a recuperação e depois retomam para os donos.

Por Mardélio Couto

Fonte: Rádio Itatiaia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.