Tutores testam creche para cães e recebem animal morto nos EUA

Tutores testam creche para cães e recebem animal morto nos EUA
Cheryl Ungar posa com seu poodle Zeb de 10 anos em 9 de julho – cinco dias antes da morte do cachorro na creche RUFF Around the Edges. Enviado por Cheryl Ungar

Na manhã de 14 de julho de 2022, Cheryl e Michael Ungar entraram com seu poodle de 10 anos, Zeb, na creche RUFF Around the Edges em Grand Junction, nos EUA, para um “teste” para ver se daria certo como sua creche para cães no futuro.

Mal sabiam eles que seu dia se tornaria o pior pesadelo de todo tutor de animal de estimação.

Os Ungars disseram ao The Daily Sentinel que receberam uma ligação frenética às 14h dizendo que Zeb havia desmaiado. Eles se encontraram no consultório de um veterinário local, onde a coproprietária da RUFF Around the Edges, Tabitha Oliver, entregou Zeb a eles no estacionamento – já tendo morrido.

A morte de Zeb gerou uma investigação do Controle de Animais do Condado de Mesa, que citou Oliver por crueldade com animais ou negligência com os animais. Um acordo de confissão foi assinado em 14 de dezembro de 2022, no qual Oliver não contestou a acusação de crueldade e/ou negligência com os animais.

Os Ungars disseram que duvidaram imediatamente das afirmações de Oliver de que Zeb havia desmaiado repentinamente, já que todos os sinais mostravam que Zeb – cujo pelo preto só servia para torná-lo mais suscetível ao calor extremo – morreu de insolação. Eles também alegaram que levaram Zeb ao consultório do veterinário três dias antes de sua morte e que ele estava com boa saúde para sua idade.

“Ele foi deixado do lado de fora sozinho no calor do meio-dia, sendo um cachorro preto, sofreu uma insolação e morreu”, disse Cheryl. “Não sabemos quanto tempo ele ficou sem ninguém por perto. Obviamente já fazia um bom tempo, e ele nem deveria ter saído para brincar naquele calor. Fomos muito específicos com eles, dizendo: ‘Não mais do que 30 minutos de brincadeira. Ele não é um cachorro cheio de energia’”.

O poodle de 10 anos de Cheryl e Michael Ungar, Zeb, morreu na RUFF Around the Edges em 14 de julho. A coproprietária da instalação, Tabitha Oliver, afirmou que o cachorro desmaiou repentinamente, mas os Ungars afirmam que todos os sinais apresentados por terem levado o corpo a um veterinário indicam uma insolação por ter ficado do lado de fora por muito tempo. Uma investigação do Controle de Animais do Condado de Mesa levou Oliver a ser citada por crueldade ou negligência contra animais, com sua audiência de acusação no Tribunal Municipal de Grand Junction marcada para 20 de setembro de 2022.
O poodle de 10 anos de Cheryl e Michael Ungar, Zeb, morreu na RUFF Around the Edges em 14 de julho. A coproprietária da instalação, Tabitha Oliver, afirmou que o cachorro desmaiou repentinamente, mas os Ungars afirmam que todos os sinais apresentados por terem levado o corpo a um veterinário indicam uma insolação por ter ficado do lado de fora por muito tempo. Uma investigação do Controle de Animais do Condado de Mesa levou Oliver a ser citada por crueldade ou negligência contra animais, com sua audiência de acusação no Tribunal Municipal de Grand Junction marcada para 20 de setembro de 2022.

“O rigor mortis já havia se instalado sobre o cadáver naquele momento, então quando nos entregaram o cachorro, suas pernas estavam rígidas, sua boca estava cheia de grama, seus olhos estavam abertos, sua língua estava para fora”, acrescentou Michael. “Nós o deitamos no chão no consultório do veterinário e o veterinário mediu os sinais vitais, tentou obter uma reação em seus olhos e disse: ‘Ele morreu. O rigor mortis se instalou, então isso aconteceu há algum tempo’”.

Michael disse que o veterinário mediu a temperatura do cachorro depois que ele morreu. A temperatura máxima do medidor era de 106 graus F, mas a temperatura do corpo estava quente demais para ser registrada. Michael observou que esta era a temperatura do corpo depois de mais de meia hora dentro de um veículo com ar condicionado e no consultório do veterinário com ar condicionado.

“Assim que o veterinário o declarou morto, saí e Tabitha ainda estava no estacionamento”, disse Michael. “Contei a ela que o cachorro havia morrido e perguntei se ela poderia me contar o que aconteceu. Tudo o que ela disse foi: ‘Sinto muito’, e então ela entrou no carro e foi embora”.

Os Ungars disseram ao The Daily Sentinel que contataram repetidamente RUFF Around the Edges para descobrir o que aconteceu com seu cachorro e pelo menos encontrar algum encerramento, mas foram ignorados.

“Como você pode simplesmente matar o cachorro de alguém em cinco horas e não sentir remorso? Pelo menos envie um cartão, literalmente qualquer coisa”, disse Cheryl.

“Recebemos cartões enviados pelo veterinário que o declarou morto”, acrescentou Michael. “Recebemos um cartão do nosso veterinário regular. Recebemos um cartão do tratador dele. A pessoa diretamente envolvida em sua morte nos deu silêncio”.

O poodle padrão de 10 anos de Cheryl e Michael Ungar, Zeb. Enviado por Cheryl Ungar
O poodle padrão de 10 anos de Cheryl e Michael Ungar, Zeb. Enviado por Cheryl Ungar

Os Ungars abordaram o Programa Pet Animal Care Facilities Act (PACFA) do Departamento de Agricultura do Colorado, o programa de licenciamento e inspeção do estado, para relatar a morte. Quando a morte de um animal de estimação ocorre em uma instalação, a instalação é obrigada a relatar o fato ao PACFA dentro de 72 horas, mas de acordo com Cheryl e Michael, quando informaram o PACFA sobre a morte de Zeb, o programa disse a eles que RUFF Around the Edges não havia relatado uma morte.

A PACFA informou-lhes que, por vários motivos, provavelmente não seria capaz de revogar a licença da RUFF Around the Edge – embora, de acordo com os Ungars, a PACFA tenha confirmado que a instalação falhou em inspeções no passado.

Pelos padrões do PACFA, uma instalação deve ser reprovada em três inspeções dentro de um ano para ter sua licença revogada. Se o titular da licença for considerado culpado de abuso de animais, isso também poderá levar à revogação da licença, mas isto não se aplicará à RUFF Around the Edges.

Embora Oliver, como coproprietária, tenha sido citada por crueldade ou negligência contra animais, ela não é a titular da licença; Lance Ferguson é.

Devido ao seu alto padrão de revogação de licença, o PACFA recomendou que os Ungars relatassem a morte de Zeb ao Controle de Animais do Condado de Mesa.

Por Nathan Deal / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: The Grand Junction Daily Sentinel

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.