Último sapo de sua espécie morre sozinho

Último sapo de sua espécie morre sozinho
Foto: Wikipedia.

O mundo perdeu mais uma espécie no mês passado – e, infelizmente, outras como ele podem logo seguir o mesmo caminho.

No dia 27 de setembro, o Atlanta Zoo anunciou que um sapo de 12 anos de idade chamado Toughie, o último sapo de árvore com pernas franjadas de Rabbs conhecido ainda existente, foi encontrado morto no recinto onde ele vivia sozinho.

Toughie foi um dos vários sapos que vieram de avião desde seu lar na América Central em 2005, o ano que sua espécie foi descoberta nas florestas tropicais do Panamá. Os biologistas tinham a esperança de, ao reproduzi-los em cativeiro, salvar a espécie de uma doença fúngica mortal que estava afetando os anfíbios depois de ser detectada na região.

Somente dois anos depois, sapos de árvore com pernas franjadas de Rabbs não eram mais encontrados na natureza.

Foto: Atlanta Zoo.
Foto: Atlanta Zoo.

Apesar de todos os esforços, esses programas de reprodução com o objetivo de preservar os sapos não tiveram frutos. Em 2009, a última fêmea dessa espécie morreu em cativeiro, seguida de outro macho em 2012. Daquele ponto em diante, Toughie foi o único que restou.

Agora, ele também se foi.

A perda desses sapos de Rabbs é somente a mais recente no que é considerada uma extinção em massa dos anfíbios. Nas últimas décadas, mais de uma centena de espécies de anfíbios foram dizimadas, com outras 6.285 correndo risco de extinção.

Apesar das causas desta dizimação ainda não serem completamente compreendidas, os pesquisadores acreditam que a atividade humana é parcialmente responsável – através da destruição do habitat, poluição e mudanças ambientais causadas pelo aquecimento global.

Clique aqui para saber mais sobre problemas que impactam o mundo dos anfíbios, e para saber como você pode ajudar.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.