Um dos 4 cães vítima de maus-tratos e que comia ‘feijoada velha’ quando tutor foi preso ficou cego de um olho

Um dos 4 cães vítima de maus-tratos e que comia ‘feijoada velha’ quando tutor foi preso ficou cego de um olho
Animal vítima de maus-tratos recebeu atendimento; ele ficou cego de um olho — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um dos cães vítima de maus-tratos e que estava com ferimento no olho, recebeu atendimento no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), em Campo Grande. No início da semana, a polícia realizou o flagrante e prendeu o tutor, um contador de 34 anos, o qual servia feijoada velha aos animais e os deixava acorrentados e sem água potável, conforme afirmou ao G1 o delegado Maércio Barbosa, responsável pelas investigações.

“Nós levamos os animais imediatamente ao CCZ, já que estavam muito debilitados. O dono foi preso, passou a noite na cadeia e depois houve a audiência de custódia. Ele agora responde ao inquérito de maus-tratos em liberdade e devemos ouvir testemunhas também”, disse o delegado.

Já a veterinária e gerente técnica do CCZ, Cláudia Macedo, disse que o animal foi anestesiado, recebeu antibiótico, anti-inflamatório e, em seguida, houve a retirada de dezenas de larvas dentro do olho. “A estrutura do olho estava comprometida e já tinha perdido a funcionalidade, principalmente porque a quantidade de larvas lá dentro era muito grande e literalmente foi comido. Só restou o globo ocular”, explicou.

Polícia foi ao local após denúncia de maus-tratos em MS — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Ainda conforme Macedo, todos os outros animais também foram avaliados e estavam sem cuidado algum, além de terem sintomas de leishmaniose. “A situação, no caso do cão com ferimento no olho, é tão debilitada que ela não conseguia nem mais espantar moscas ao redor do olho. Já os outros provavelmente estavam com o sistema imune mais resistente. Foram feitas fotografias, laudos clínicos e eles foram enviados para uma ONG [Organização Não Governamental]”, comentou. 

Entenda o caso
 
A polícia recebeu uma denúncia de maus-tratos e foi até um endereço, no bairro Bethaville, na segunda-feira (22). Ao chegar lá, confirmou a veracidade e encontrou os animais acorrentados, situação que permaneciam 24 horas por dia, além de não ter abrigo, água potável para consumo, bem como terem comida “podre e fétida” nas vasilhas, segundo a polícia.

Nas redes sociais, o delegado inclusive postou um vídeo, em que fala da situação “horrível” dos animais. O dono, de 34 anos, foi preso em flagrante. Ele foi indiciado pelo crime de maus-tratos, com pena que varia de 2 a 5 anos de reclusão.

“Olha só a situação desses animais aqui. Comida podre. Amarrados. Segundo o tutor, disse que foi uma feijoada de domingo que ele serviu para os cachorros hoje, aliás ontem, e apodreceu. Olha a situação desse daqui…praticamente dentro de um buraco, que serve como casa. A corrente deve ter 50 centímetros, no máximo. Esse outro aqui também, preso, sem comida. Água suja. E é isso, infelizmente, as pessoas querem ter os cães, mas, não querem cuidar adequadamente e mantém os animais nessa situação”, falou o delegado.

Polícia disse que cães também não tinha água potável e nem abrigo — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Por Graziela Rezende

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.