Um festival único no mundo, onde o objetivo é 'torturar porcos'

Um festival único no mundo, onde o objetivo é ‘torturar porcos’

Imagens impactantes surgiram de uma captura de porcos selvagens, mostrando-os a gritar, arrastados por suas orelhas e patas, colocados em sacos e sangrando depois de torturas e agressões. O evento anual, chamado “Bandera Bacon Bash”, que termina com a matança e o consumo de porcos, nasceu dos esforços para sacrificar a população de porcos selvagens na capital dos vaqueiros, Bandera, um pequeno povoado perto de San Antônio, Texas, nos EUA. Os residentes encurralam os javalis e logo competem para prendê-los e coloca-los em um saco em um estádio cheio de dezenas de famílias, incluindo muitas crianças.

Alguns dos animais em pânico se jogam contra a grade metálica várias vezes enquanto tentam escapar, se cortam e sangram, enquanto que outros são pisoteados e golpeados pelos participantes.

Apesar de o comentarista do evento gritar à multidão: “Mais uma vez, não tentem fazer isso em casa, estes porcos podem ser perigosos”, anima as crianças a participar de uma tradição de 17 anos, onde javalis menores, mas igualmente aterrorizados.

O grupo de direitos dos animais PETA pede ao governador de Texas, Greg Abbott, que emita uma ordem executiva para acabar com as capturas de porcos selvagens, e condena os efeitos violentos que estes eventos podem causar tanto aos animais como às crianças. A PETA também apresentou uma denúncia perante a polícia e a Comissão de Saúde Animal de Texas, alegando que estas supostas violações podem acarretar sanções penais.

“Os porcos jovens que gritavam e entravam em pânico foram atormentados e torturados por um pouco de diversão bruta que deveria envergonhar a todas as pessoas que participam deste festival”, disse um porta-voz da PETA. Os organizadores descrevem o evento em sua página do Facebook como “Diversão rápida para toda a família”, e anunciam que em um curral há uma briga de porquinhos para crianças de 3 a 9 anos, com um preço de entrada de cinco dólares.

Tradução de Alice Wehrle Gomide
 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.