Um homem generoso salva dois gatinhos de um derramamento de óleo na Rússia

Um homem generoso salva dois gatinhos de um derramamento de óleo na Rússia
Fotos: Siberian Times

Quando acontece um desastre ecológico, os animais, tanto os selvagens quanto os domesticados são, muitas vezes, vítimas esquecidas. Estima-se que, para cada 1000 pessoas atingidas por um desastre, aproximadamente 1.500 animais seriam atingidos. O Furacão Katrina, por exemplo, destacou a vulnerabilidade dos animais de companhia que geralmente são abandonados e desamparados quando as tragédias acontecem. Outras pessoas optaram por não deixar Nova Orleans e a Costa do Golfo a menos que pudessem trazer seus queridos cães e gatos, colocando sua própria segurança em risco.

Em resposta ao Katrina, o Ato Pets Evacuation and Transportation Standards (PETS) foi sancionado em 2006, exigindo que órgãos de emergência estaduais e locais levassem em consideração as necessidades das famílias e seus animais domésticos antes, durante e após um desastre.

Infelizmente, a situação dos animais abandonados em seguida ao desastre foi colocada em destaque recentemente na Rússia, depois de um derramamento de óleo mortal que devastou as comunidades na região de Nefteyugansk na Sibéria.

No último mês de junho, uma ruptura em um oleoduto principal permitiu que quantidades abundantes da substância derramassem no Rio Ob.

A empresa N-Yuganskneftegas Ltd, que administra o sistema de oleodutos, afirmou estar tomando “todas as medidas necessárias para minimizar os danos ambientais”, mas os moradores da região ainda estão lutando para lidar com as consequências.

O aparecimento de óleo e outros materiais indesejáveis na água potável tem sido um problema persistente.

No meio do caos em andamento, um morador local, Anatoly Tuptey, foi aplaudido por sua compaixão ao resgatar dois gatinhos minúsculos.

Fotos: Siberian Times

Tuptey estava ajudando a limpar restos de óleo derramado perto de uma casa de campo quando ele ouviu  um “choro lamurioso” dos pequenos animais.

“A minha alma não aguentou aquele choro, eu fui ver”, disse ele, “Você nunca sabe o que pode estar acontecendo, eu tive que checar”.

“Eu caminhei o máximo que pude usando botas de cano longo e vi uma cena horrível”. Tuptey continuou, “na casa inundada, um fragmento de madeira estava boiando com esses dois gatinhos tentando se salvar, se agarrando com as patas. Um estava com óleo até o pescoço”.

“Sem hesitar eu fui até eles. Eu estava com óleo até a cintura. O chão estava cedendo, minhas botas estavam escorregadias, cheias de água misturada com óleo, mas eu não me importei”.

Após levar os gatinhos de volta à terra seca, Tuptey deu banho neles e os levou para sua casa.

Seu cão de estimação rapidamente acolheu os bebês e os ajudou a se sentirem bem em casa.

Tuptey acrescentou que as pessoas que decidiram abandonar os gatinhos para uma morte quase certa ao perceberem a inundação de óleo eram “sem coração”. Ele trabalhou duro para salvar tantos seres vivos quanto possível desde que o derramamento ocorreu e não vê diferença entre seus esforços para salvar as vidas dos seres humanos e suas tentativas similares para resgatar animais. “Dias atrás eu resgatei pessoas e equipamentos quando um bote virou, agora foram os gatinhos, declarou ele”. A sua generosidade não toca o seu coração?

Você pode encontrar algumas dicas sobre como proteger seus animais em caso de um desastre, natural ou provocado pelo homem, clicando aqui.

Por Aisling Maria Cronin / Tradução de Elisângela Gomes da Silva

Fonte: One Green Planet 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.