Uma banqueta de bar mata tartaruga-marinha ameaçada de extinção: Seis modos de prevenção

Uma banqueta de bar mata tartaruga-marinha ameaçada de extinção: Seis modos de prevenção

Como você vê seu relacionamento com este planeta? Você sente como se “possuísse” algo, simplesmente por ter nascido humano? Ou você se esforça para cuidar do planeta, ao defender o meio ambiente e os animais porque você tem consciência de que isso será passado para as gerações futuras? Este último é o único modo de vivermos em harmonia com a Terra que nos sustenta. Infelizmente, somos lentos para aceitar a verdade, o que leva a tragédias, como uma tartaruga ameaçada de extinção ser morta por uma banqueta.

Em meados de agosto, a organização South Walton Turtle Watch fez uma publicação devastadora no Facebook. As fotos e legendas tristes revelaram que uma tartaruga-de-kemp, a espécie mais rara das tartarugas-marinhas, pereceu. E o motivo? Ficou presa numa banqueta em uma praia da Flórida.

“Nós libertamos essa moça bonita da banqueta. Uma Tartaruga-de-Kemp em grande ameaça de extinção e, claro, estava morta”, dizia a publicação. “Veja pela cabeça dela o sofrimento que passou. A pobrezinha deve ter tido uma morte horrível.”

O site IFLScience informou que um morador encontrou a tartaruga na praia de Dune Allen, no Condado de South Walton. Devido às condições do corpo, não foi possível fazer uma necropsia. Entretanto, a causa da morte estava clara. Michael Abshure da South Walton Turtle Watch declarou à rede local WEAR-TV – “Foi de cortar o coração ver um animal ameaçado de extinção ter uma morte horrível dessas. Presa naquela banqueta, só posso imaginar que foi uma morte lenta.”

Tartarugas-de-Kemp Ridley

As tartarugas-marinhas altamente ameaçadas são as mais raras do mundo. Elas vivem no Golfo do México e na Costa Leste dos EUA. A Organização ConserveTurtles.org declara que existem de 7.000 a 9.000 tartarugas-marinhas de-Kemp ridley na natureza. Em 1940, seu número era centenas de milhares. Em 1980, entretanto, restavam apenas centenas. Os esforços de conservação têm ajudado a aumentar os números das sub- espécies.

Fotos: South Walton Turtle Watch

As ações humanas são as principais causas das ameaças às tartarugas. A coleta dos ovos e a matança dos adultos e jovens por causa da carne têm cobrado seu preço no número de espécimes. Os ninhos também têm sido destruídos como resultado do arrastão do camarão, afirmou a ConserveTurtles.org.

Seis modos como você pode ajudar todas as tartarugas-marinhas.

Existem somente sete espécies de tartarugas-marinhas no mundo, e seis agrupamentos encontram-se nos Estados Unidos. Infelizmente, todas listadas como em risco ou ameaçadas no Endangered Species Act (a Lei das Espécies em Extinção). Se você quiser prevenir essas espécies preciosas de se extinguir, tome atitude e siga os conselhos abaixo:

1. Evite fazer fogueiras nas praias durante a temporada de desova.

Se você mora perto da praia ou planeja visitar, evite fazer fogueiras nas praias durante a temporada de desova. O calor e a luz das fogueiras desorientam as tartarugas-marinhas. Como resultado, as tartarugas rastejam em direção à luz e se ferem.

2. Recolha o lixo e resíduos

Se encontrar lixo ao caminhar ao longo da praia, recolha. Você, e todo ser humano, tem a responsabilidade de manter o planeta limpo para todas as espécies desfrutarem. Ao fazer sua parte, você evita que um animal inocente ingira resíduos de plástico ou fique preso em algo, como uma banqueta. “Não deixe seu lixo na praia”, pede a South Walton Turtle Watch em sua publicação no Facebook. “Por quê não conseguimos manter a praia limpa à noite? Espalhe essa ideia e faça sua parte.”

Foto: Tyndall AFB

3. Abandone de vez o plástico!

Sacolas plásticas são a maior ameaça para as tartarugas-marinhas, pois geralmente confundem os resíduos com águas-vivas, uma das suas principais fontes de alimento. Se uma tartaruga fica presa em uma sacola plástica ou a ingere é provável que morra. Mesmo que você não more próximo à praia, abandonar o uso de sacolas plásticas é uma boa ideia.  Oitenta por cento do lixo jogado em aterros acabam por encontrar seu caminho para o mar. Aí, há um redemoinho de grande confluência, como a Grande Porção de Lixo do Pacífico.

4. Não perturbe fêmeas em desova

tartarugas-marinhas são criaturas incríveis – entendemos isso.  Mas se perceber que uma fêmea de tartaruga está preparando para desovar, vá para o outro lado. Sua presença pode perturbar o processo de desova.  Se a tartaruga se assustar, ela pode fazer uma “meia-lua” e retornar para o mar sem desovar.

5. Mantenha-se atento ao navegar

Se você gosta de explorar os mares, mantenha-se atento às tartarugas. Golpes de barcos e hélices são responsáveis por machucar seriamente ou matar tartarugas-marinhas. Para prevenir acidentes tão horríveis, diminua a velocidade quando vir uma tartaruga. Além disso, permaneça nos canais e evite navegar nos habitats das tartarugas-marinhas.

Foto: Wikipedia

6. Divulgue e crie conscientização

Não há motivo para você ficar calado sobre algo em que acredita. A internet pode difundir suas opiniões para as massas. Compartilhe notícias como esta para conscientizar a população. Você também pode arrecadar fundos em sua comunidade para organizações que lutam para proteger animais ameaçados de extinção como as tartarugas-marinhas.

Se cada pessoa fizer de sua missão proteger o meio ambiente e a vida selvagem, faremos a diferença no mundo em que vivemos em poucos anos. Compartilhe essa ideia.

Por Amanda Froelich / Tradução de Ana Cristina L Garcia

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.