Uma defensora dos animais está entre as 25 mulheres mais influentes da Alemanha

Uma defensora dos animais está entre as 25 mulheres mais influentes da Alemanha

A jovem diretora adjunta da ONG Igualdade Animal, Ria Rehberg, foi escolhida por uma importante revista alemã como uma das 25 mulheres mais influentes do país.

Tradução de Tatiana E. P. Soares

Cerca de 700 mulheres foram selecionadas para o ranking de pessoas influentes em vários campos, tais como meio ambiente, política e arte. “As 25 mulheres que fazem o nosso mundo um lugar melhor” foi o título da seleção feita por um júri de especialistas em todos os campos relevantes querendo homenagear as mulheres que participam ativamente a nível comunitário ou nacional em toda a Alemanha. A revista Edition F reduziu a lista em 50 nomes, logo terminando com 25 finalistas.

Ria Rehberg: um exemplo para a juventude

O compromisso e dedicação com o bem-estar animal em todo o país têm feito que Ria se tornasse um exemplo a seguir. Desde 2006 ela está à frente da organização internacional Igualdad Animal, um grupo que enfrenta a crueldade da indústria da carne e o sofrimento dos animais em granjas e matadouros, em seu escritório na Alemanha.

Com o reconhecimento recebido Rehberg afirmou que “é uma honra receber este prêmio juntamente com outra ativista pelos direitos dos animais como Hilal Sezgin, e o fato de que os leitores enfatizaram muito a questão dos animais me faz muito feliz. Cada vez mais mulheres na Alemanha escolhem compaixão e reduzem ou eliminam o consumo de carne devido aos terríveis sofrimentos dos animais dentro dessa indústria”.

De acordo com a descrição feita pela revista, Ria é uma apaixonada ativista pelos direitos dos animais e vice-presidente da animalequality.de.

Um dos objetivos da ONG é identificar as condições em que estão os animais na indústria pecuária. Em 2015, a organização recebeu um prêmio internacional por ser uma das organizações sem fins lucrativos mais eficazes e de longo alcance em seu ramo.

Uma de suas campanhas mais reconhecidas foi para a China, onde eles lutaram por vários meses contra o consumo da carne de cães e gatos. Apesar de não frear a prática, a ONG conseguiu estar no foco da mídia e conscientizar boa parte da população.

Fonte: La Red 21

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.