Ursa faz ‘hidroginástica’ para tratar artrose em santuário de animais no interior de SP

Ursa faz ‘hidroginástica’ para tratar artrose em santuário de animais no interior de SP
Ursa faz 'hidroginástica' para tratar artrose em santuário de animais em Joanópolis — Foto: Divulgação/ Rancho dos Gnomos

A ursa Mizar está fazendo ‘hidroginástica’ para tratar uma artrose em um santuário de animais em Joanópolis, no interior de São Paulo.

Ela, que é um animal idoso e já teve que trabalhar em um circo fazendo exibições, atualmente passa por uma série de atividades e tratamentos para ganhar qualidade de vida – a principal delas é uma hidroginástica adaptada para que ela exercite as articulações.

“Logo no início, nós percebemos certa dificuldade para se locomover, para se sentar e até mesmo se levantar. Observamos dores na coluna e provavelmente artrose em várias articulações. A terapia da Mizar ela é multidisciplinar e consiste em medicamentos para controle da dor, exercício para fortalecimento da musculatura, suplementos alimentares diversos, inclusive para artrose”, explica a veterinária responsável pelas atividades, Carla Spechoto Mariano.

Ela explica o benefício da atividade para o animal. “Além de fazer parte de um enriquecimento ambiental onde ela se diverte ela acaba trabalhando vários músculos, o que seria impossível se fazer fora da água, a água reduz o peso, possibilitando essa espécie de fisioterapia que é uma hidroginástica dela”, disse.

Segundo Marcos Pompeu, idealizador do projeto, as brincadeiras na água são as preferidas da ursa. “Ela adora brincar com as bolas na piscina, onde tenta afundar as bolas, mas elas escapam por um lado, pelo outro e ela se diverte. O importante é que ela esta se exercitando”, disse.

Ursa faz ‘hidroginástica’ para tratar artrose em santuário de animais em Joanópolis. — Foto: Divulgação/ Rancho dos Gnomos 

Histórico
 
A ursa Mizar chegou ao santuário de animais em 2019, acompanhada pelo irmão Verrú. Eles foram transferidos de um zoológico em Canindé, no Ceará, por determinação da Justiça.

O espaço em Joanópolis fica em um uma área de montanha, em meio à mata, com temperaturas amenas e mais adequadas à espécie. As condições climáticas em que eles viviam no Ceará foram levadas em consideração para que a Justiça determinasse a transferências deles.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.