Urubu tem a asa cortada após ser ferido por linha com cerol em Santos, SP

Urubu tem a asa cortada após ser ferido por linha com cerol em Santos, SP

Ele foi encontrado por moradores no último domingo (7). Urubu recebe tratamento em clínica e deve voltar a voar em dois meses.

Por Mariane Rossi

SP santos urubu1

Um urubu teve a asa cortada após ser atingido por uma linha com cerol em Santos, no litoral de São Paulo. Ele foi resgatado por profissionais de uma clínica veterinária onde passa por tratamento. A reabilitação do animal deve durar de um a dois meses.

O urubu foi encontrado caído na calçada entre a rua Oswaldo Cochrane e a avenida Afonso Pena na noite do último domingo (7). Na segunda-feira (8), os moradores do bairro ligaram para a Codevida, que orientou os mesmos para entrar em contato com o Orquidário de Santos que pediu para comunicar a Polícia Ambiental. Segundo os moradores, a Polícia Ambiental orientou ligar para a Codevida. Nenhum dos orgãos foi buscar o animal.

O médico veterinário Eduardo Ribeiro Filetti foi até o local resgatar o urubu. Segundo ele, o animal estava com uma das asas ferida. “Dava para ver bem o corte com o cerol.

Trouxemos para cá (clínica).Uma das asas foi cortada e ele também teve uma fratura na asa.”, conta Filetti. De acordo com o veterinário, o animal está tomando antibiótico e antinflamatório, está tendo uma alimentação a base de proteína e vitamina, além de repousar.

Segundo Filetti, o urubu ferido é macho e tem, aproximadamente, dois anos de idade. Ele está em um local separado da clínica e sendo cuidado por outros veterinários que já lidaram com urubus feridos em outras situações. “A gente acredita que entre um mês e meio ou dois ele vai estar apto a voar de novo”, diz ele.

O departamento veterinário do Orquidário de Santos informa que o atendimento a animais silvestres só pode ser realizado mediante encaminhamento da Secretaria estadual de Meio Ambiente, Polícia Ambiental ou Ibama, verificando-se ainda a disponibilidade de vaga no setor.

Urubu

O médico veterinário diz que o urubu faz parte do nosso ecossistema, já que se alimentam de materiais em decomposição, são fundamentais para auxiliar na limpeza das cidades e a manutenção do equilíbrio ecológico do meio ambiente.

Por serem considerados animais silvestres (como pombos, morcegos e capivaras), os urubus não podem ser mortos e nem maltratados, pois são protegidos pela Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1.998 – Lei de Crimes Ambientais. O artigo 32 diz “Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa”.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.