Uruguai: zoológico Villa Dolores vira parque urbano

Uruguai: zoológico Villa Dolores vira parque urbano

A Prefeitura de Montevidéu confirmou para a ONG Animales sin Hogar que o zoológico de Villa Dolores não voltará a abrir suas portas.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Logo após ter uma reunião com o diretor de Artes e Ciências da Prefeitura de Montevidéu, Juan Canessa, a ONG Animales sin Hogar informou no dia 8 de julho que o zoológico de Villa Dolores não abrirá novamente como tal.

“O zoológico de Villa Dolores, que está fechado há um ano e meio, não vai mais abrir como zoológico. A ideia do governo municipal é que este se transforme em um parque público”, destacou um dos representantes da ONG em um vídeo que publicaram em sua página do Facebook.

Os integrantes da ONG apontaram que esta reunião surgiu a partir da medida tomada pelo governo de Buenos Aires de fechar seu zoológico.

A ideia do parque público no local de sete hectares estava inclusa dentro das obras planejadas para o Fundo Capital, mas por falta de votos seu seguimento ficou suspenso.

De acordo com o que Canessa disse ao jornal El País, a transformação do zoológico em um parque urbano terá um custo aproximado de US$ 12 milhões. O prefeito de Montevidéu, Daniel Martínez, sinalizou ao jornal que ainda não possui esses fundos para seguir com a obra e que deverá esperar por uma terceira edição da gestão fiduciária municipal.

Martínez também disse que o traslado dos animais não é uma tarefa simples. Neste aspecto, a Animales sin Hogar se colocou à disposição da Prefeitura de Montevidéu para receber algumas espécies do zoológico.

A maioria dos animais que hoje estão no Villa Dolores irá ao parque Lecocq, enquanto outra parte viajará para outros países. “A ideia não é que eles sejam enviados a outro zoológico”, ressaltou o representante do Animales sin Hogar no vídeo, comentando que a intenção do município é que eles não voltem a ficar atrás de grades.

Fonte: El Observador

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.