Usinas de carvão ameaçam destruir o último habitat do altamente ameaçado pangolim

Usinas de carvão ameaçam destruir o último habitat do altamente ameaçado pangolim

Deixe-me apresentar este adorável e engraçado mamífero: o pagolim.

Por Rainforest Action Network / Tradução de Luciane Sarti

Os pangolins são mamíferos com escamas, parentes próximos dos tamanduás. Essas criaturas noturnas passam as noites comendo formigas e cupins.Normalmente, os pangolins dão à luz a um único filhote de cada vez. Suas criasdependem muito das mães e podem ser vistos passeando pendurados na cauda de suas progenitoras quando ficam cansados. Os pangolins se enroscam como se fossem uma bola quando estão nervosos, estressados ou assustados.

Os pangolins indianos já correm o risco de desaparecer. Atualmente, seu principal habitat em Bangladesh, também a maior floresta de manguezal do mundo, está sendo destruído pelas corporações que tentam construir usinas de carvão.

A ameaça iminente do carvão para os pangolins 

Essa área, conhecida como Sundarbans, foi reconhecida pelas Nações Unidas como um dos Patrimônios Mundiais da UNESCO: um lugar especial de valor universal – e que deveria estar sob proteção. No entanto, há planos em curso para a construção de duas grandes e poluidoras usinas de carvão. As chaminés das usinas depositariam mercúrio, gases ácidos e outras emissões tóxicas na região, afetando as comunidades próximas, as florestas de manguezal e tudo o que depende delas. Além disso, o rio principal que atravessa os Sundarbans seria dragado para dar espaço às barcaças de carvão sujo.

A UNESCO tem o poder de adicionar os Sundarbans à Lista do Patrimônio Mundial em Perigo e proteger a floresta e seus habitantes contra uma expansão destrutiva. Ela também pode apelar ao Bangladesh para que rejeite as usinas e se comprometa com um desenvolvimento sustentável nos arredores dos Sundarbans. Entretanto, a organização permanece em silêncio enquanto os planos seguem e ameaçam a floresta, animais em extinção como o pangolim e a população que depende da mata.

Agora uma aliança de grupos internacionais, incluindo a Rainforest Action Network, está pedindo à UNESCO que se posicione contra essa intrusão nos Sundarbans. Nas próprias palavras da UNESCO, esses locais “pertencem a todas as pessoas do mundo, independentemente do território em que se encontrem”. Pelo bem de nosso patrimônio, a UNESCO deve proteger este precioso território em vez de permitir que duas usinas de carvão altamente destrutivas se estabeleçam.

Todos nós podemos agir para salvar o pangolim e seu habitat.Junte-se a nós e a nossos parceiros do mundo inteiro para enviar uma mensagem à UNESCO. E compartilhe esta publicação para que mais pessoas conheçam essa curiosa e adorável criatura! Vamos garantir que os pangolins sempre tenham um lar para criar seus filhotes.

Fonte: One Green Planet

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.