RR BoaVista vacinacao raiva bate recorde

Vacinação contra a raiva bate recorde em Boa Vista (RR) após caso confirmado

Mais de 22 mil animais foram vacinados apenas no sábado, diz Prefeitura. Garoto de 14 anos contraiu raiva após ser mordido por gato de estimação.

A campanha de vacinação antirrábica realizada em Boa Vista neste sábado (21) bateu recorde quando 22.300 animais foram vacinados em 34 postos, segundo a Prefeitura da capital. A grande procura pela imunização ocorre após a confirmação pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) de Roraima do primeiro caso de raiva humana registrado no estado em 40 anos.

Conforme o Diretor da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonose do município, Rogério Gomes, a meta era vacinar 14.500 animais. O total alcançado, segundo a Prefeitura, corresponde a 79% da meta traçada pelo município para o ano de 2016.

“Todas as unidades que participaram da campanha receberam material e doses em grande quantidade entretanto a demanda foi muito além do esperado, ficamos surpresos. Esse número altíssimo nunca tinha sido registrado em um único dia de campanha”, disse Rogério acrescentando que o estado recebeu 60 mil doses de vacina na sexta (20).

O motorista Urbani dos Santos levou os dois cães para serem imunizados: “Eu tenho muito cuidado, quando vi nas redes sociais o primeiro caso de raiva em Roraima fiquei assustado. O cuidado com os nossos animais de estimação deve aumentar e é importante a vacinação”.

Apesar dos números positivos, a campanha de vacinação continua. Durante a semana é possível vacinar os animais no Centro de Zoonoses na avenida Centenário, zona Oeste da cidade, nº 469. O espaço funciona de segunda a sexta-feira das 8h ás 12h e das 14h às 18h.

A Secretaria de Saúde do municipio informou que pretende atender agora a zona rural de Boa Vista para evitar casos de raiva nessa área.

Primeiro caso confirmado desde 1976

No dia 8 de abril, um garoto de 14 anos foi mordido por um gato de estimação ao tentar abrir a boca do animal para lhe dar comida. Segundo a mãe do adolescente, o animal não queria comer e expelia uma secreção pela boca. O gato morreu uma semana depois de causar o ferimento.

Dias depois, o adolescente começou a apresentar sintomas de gripe seguido de náuseas, vômitos, rigidez na nuca, febre e inflamação do membro afetado. Ele foi encaminhado para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do HGR, onde segue internado.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.