Vacinação de cães e gatos supera a marca de 5 mil em Ji-Paraná, RO

Vacinação de cães e gatos supera a marca de 5 mil em Ji-Paraná, RO
Até a última sexta-feira (11), os servidores já haviam vacinado 5.113 mil animais (Foto: Reprodução Internet)

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Ji-Paraná deve concluir, ainda este mês, a campanha de vacinação antirrábica na área rural deste município. Até a última sexta-feira (11), os servidores já haviam vacinados 5.113 mil animais, entre cães e gatos, do total de nove mil. Já dentro da cidade a previsão da vacinação acontecer é até o final da primeira quinzena de dezembro próximo.

De acordo com Antônio Adair Filho, chefe do CCZ, a campanha de vacinação de cães e gatos em todo o território municipal teve início há dois meses, e têm objetivo de combater a incidência da raiva em humanos. Segundo ele, as equipes percorrerão todas as propriedades de todos os setores como Itapirema, Gleba G, Linhas 200, União e Riachuelo, considerado o maior de todos. “Já atingimos 5.113 animais do total de nove mil, e acreditamos ser possível alcançar a nossa meta. As pessoas estão colaborando bastante com as nossas equipes”, disse.

Quando iniciar a campanha na cidade, Antônio Adair afirmou que o CCZ contará com apoio importante, entre os quais acadêmicos do Ceuji/Ulbra, agentes de saúde, Ongs e da Escola Família Agrícola (EFA).

Capturas

Independente da realização da campanha antirrábica, Adair alertou os donos de animais, principalmente cães, para que não deixem os animais soltos nas vias públicas, principalmente se o cachorro ou gato não estiver com a vacina em dia. Logo após o encerramento da vacinação no setor rural, ele garantiu que será feita a chamada captura em vários pontos da cidade. “O animal solto representa perigo para a saúde das pessoas de uma forma geral”, acrescentou.

Cidade 

Já no perímetro urbano, são 17 mil animais e a campanha somente ainda não teve início, em decorrência burocrática para a liberação de recurso financeiro, já liberado pela Secretaria de Saúde, segundo o diretor do Departamento de Vigilância e Saúde, Paulo Soares. Ele informou que a vacinação deve acontecer ainda neste mês de novembro ou até o final da primeira quinzena de dezembro. “Já estamos com esse recurso garantido pelo secretário Renato Fuvek para a compra do material necessário”, afirmou.

Por J. Nogueira 


Nota do Olhar Animal: O animal solto representa perigo para si próprio, antes de mais nada. Vive sob o risco de atropelamentos, envenenamentos, fome, doenças e, um dos principais, de ser vítima da visão antropocêntrica e anacrônica das autoridades sanitárias, que veem os bichos como inimigos e não como seres merecedores de alguma consideração.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.