Vereador de Divinópolis (MG) prende cão em sala da Câmara é acusado de maus-tratos

Vereador de Divinópolis (MG) prende cão em sala da Câmara é acusado de maus-tratos

O vereador Matheus Costa (CDN), de Divinópolis, Região Centro-Oeste de Minas Gerais, registrou ocorrência policial contra o presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Kaboja (PSD), por maus-tratos a animais. O caso gerou repercussão na cidade após o parlamentar flagrar, filmar e postar nas redes sociais imagens do cachorro preso na sala de máquinas de ar-condicionado da Câmara – o animal teria ficado pelos menos quatro horas trancado no espaço.

A assessoria de comunicação do Legislativo desmente a versão de Matheus Costa. Nega maus-tratos e diz que o animal foi levado por Kaboja para a Câmara porque seria adotado por uma assessora parlamentar e encaminhado a um veterinário.

Mariana Dias é assessora do vereador César Tarzan (PSDB). No boletim policial, ela se identificou como testemunha e confirmou a versão repassada pela comunicação do órgão.

Após a repercussão do vídeo, o animal foi retirado da sala de ar-condicionado e levado pela assessora para um pet shop. (Foto: Divulgação)

Antes, em comentários nas postagens feitas pelo vereador denunciante nas redes sociais, Mariana alegou que o cão foi resgatado por Kaboja após ser encontrado na rua “machucado e com fome”. Em resposta ao comentário da assessora, o presidente da Câmara postou: “Se precisava de alguém para desmentir (mais uma vez) os oportunistas de plantão, aqui está a resposta. Obrigada, Mariana Dias”.
 
Mariana refuta a afirmação de maus-tratos ao animal: “Tenho testemunhas que deram água, comida e que não houve maus-tratos”.

Ela disse ainda que o cachorro ficou no local até o horário de ser levado ao veterinário. Mariana afirmou ainda ter ficado surpresa com a reação de Matheus: “Uma tentativa frustrada de fazer política ou criar um fato político (…) Conversei com ele no gabinete e ele fez um estardalhaço desnecessário”.
 
Uso do carro oficial

Em vídeo, Matheus mostrou o momento em que o animal chega ao prédio da Câmara, levado por assessores em um carro oficial de uso exclusivo da presidência. Depois, o animal aparece preso dentro da sala de máquinas de ar-condicionado.

Na mesma gravação, Kaboja e o denunciante aparecem discutindo. Por fim, imagens da câmera de segurança mostram o momento em que ele é retirado do prédio.
 
“Tinha um segurança vigiando. Comecei a fazer a transmissão porque é uma falta de respeito, maltratado ou não, ele estava em uma sala com máquinas e qualquer coisa poderia acontecer”, declarou Matheus.

O vereador tratou a situação como “afronta à Constituição” e acusou o presidente de usar a Câmara como “quintal da casa dele”.
 
“Criar armadilhas”
 
A reportagem tentou contato com Kaboja, porém as ligações não foram atendidas. Questionada sobre o motivo de prender o animal na sala de máquinas de ar-condicionado, a assessoria da Câmara informou que apenas o presidente poderia responder.
 
Nas redes sociais, Kaboja reforçou a posição da assessoria. Disse que levou o animal para a adoção após resgatá-lo da rua. Afirmou ainda que o denunciante tentou criar um fato para caluniá-lo.

“Seguidamente, ele vem tentando criar armadilhas e fatos, procurando montar fakes para atrapalhar quem legisla e trabalha por nossa cidade”, argumentou. 

Por Amanda Quintiliano, especial para o EM

Fonte: Estado de Minas

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.