Vereador de Rio Pardo, SP, é agredido após denunciar abandono de animais

Vereador de Rio Pardo, SP, é agredido após denunciar abandono de animais

Matheus Mafepi foi à polícia após apanhar de filho de presidente de asilo. Chefe da instituição afirma que pediu ajuda e não podia manter os bichos.

Um vereador de São José do Rio Pardo (SP) diz que foi agredido na quinta-feira (25) pelo filho da presidente do asilo Padre Euclides Carneiro após denunciar a instituição em uma rede social por abandono de animais.

A chefe da instituição afirma que os bichos foram deixados em uma área de colônia, para serem cuidados por moradores, e que sua permanência no asilo poderia prejudicar a saúde dos idosos, já com sintomas de alergia.

Agressão

De acordo com Matheus Mafepi (PV), a agressão aconteceu em frente a uma escola. Ele teria sido chamado por um aluno para resgatar um gato e, quando se deparou com o homem, foi agredido na cabeça e na barriga.

Após ir até a delegacia, registrar um boletim e ocorrência e fazer o exame de corpo de delito, Mafepi afirma que foi ameaçado. “Chegaram dois áudios no meu WhatsApp de muitas pessoas, em que ele afirma que me agrediu e, no final, diz que vai me matar”, contou.

Para o vereador, a agressão foi causada pela denúncia de que o asilo teria abandonado animais em uma estrada da cidade. Em sua página no Facebook, ele escreveu que recebeu informações de que dois carros da instituição abandonaram vários cachorros.

Segundo a presidente do asilo, Rita Barbosa, o vereador afirmou ter sido agredido, mas não contou sobre a discussão que antecedeu a agressão.

“Meu filho estava indo para a faculdade e ele estava pegando um gatinho na escola, mas meu filho só pediu para que ele não denegrisse a imagem de alguém que nem conhecia, no caso eu, e ele começou a ironizar, então ele foi agredido mesmo e postou no Facebook para se promover”.

Ela também afirmou que pediu orientação ao vereador sobre o destino dos animais abandonados no asilo, uma vez que eles colocam em risco a saúde dos idosos.

“A população está soltando muito gato e cachorro aqui dentro do asilo e eles acabam fazendo as necessidades. Nós procuramos muitas vezes o vereador Mafepi, que diz ajudar os animais, mas ele não ajudou e dizia que era para colocar na rua e não alimentar”, afirmou Rita.

SP riopardo prints 08vuCiDSem apoio, a presidente disse que os animais foram deixados em um espaço de colônias, para serem cuidados pelos moradores. “Eu não tenho garantia de que estão sendo cuidados, mas cuidei para que não fossem soltos na rua e não corressem risco de morte”.

Questionado sobre as afirmações da presidente, Mafepi disse que recebeu pedido de ajuda uma vez para conseguir refúgio para os gatos do local, mas não tinha como abrigá-los.
“Eu falei para ela que, se realmente estavam trazendo transtorno, então que parasse de alimentá-los porque eles iriam até a praça que fica em frente à minha casa, onde trato dos cães abandonados por conta própria”, afirmou.

Fonte: G1

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.