Veterinária descreve gravidade de agressões que mataram cão em Ribeirão Preto, SP: ‘por bastante tempo ou por algo muito pesado’

Veterinária descreve gravidade de agressões que mataram cão em Ribeirão Preto, SP: ‘por bastante tempo ou por algo muito pesado’
Cachorro precisou ser hospitalizado após ser agredido a pauladas pelos tutores em Ribeirão Preto, SP. — Foto: Amanda Gonçalves/Reprodução

Responsável pelo atendimento do cão Jhom, que morreu depois de ser agredido a pauladas em Ribeirão Preto (SP), a médica veterinária Dayse Ribeiro de Oliveira afirma que uma necropsia no animal será realizada para ajudar nas investigações da Polícia Civil.

Tutores do animal, que haviam o adotado em 2018, Vander Soares da Silva, de 39 anos, e Karina Galdiano da Silvam de 45 anos, foram presos em flagrante por suspeita de serem os autores das agressões.

Segundo ela, não há dúvidas sobre a violência da ação, diante da gravidade dos ferimentos apresentados pelo animal durante o atendimento na clínica.

“Ele tinha bastante ferimento. A orelha estava cortada, os olhos pra fora. Então assim, ele é um cachorro de médio porte, entendeu? Então é um cachorro forte. Então as agressões foram feitas ou por bastante tempo ou por algo muito pesado pra ter ferido ele daquela forma”, diz.

Cachorro resgatado após ser vítima de pauladas em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV
Cachorro resgatado após ser vítima de pauladas em Ribeirão Preto, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Cão agredido

O animal foi resgatado em uma casa na Vila Elisa na noite de domingo (19). De acordo com o boletim de ocorrência, policiais militares foram acionados por vizinhos por volta das 20h30.

Chegando à residência, eles encontraram o animal desacordado com um sangramento nas narinas. Jhom chegou a ser socorrido em uma clínica veterinária na Avenida Antônio Diederichsen, na zona sul, com a ajuda da representante de uma ONG de proteção animal, mas não resistiu e teve a morte confirmada nesta segunda-feira (20).

“Ela me ligou ontem à noite, ela estava no local, que ele precisava de ajuda. Aí eu falei pra trazer. Ele veio sangrando bastante, com os olhos bem inchados, a face bem inchada, saindo sangue pelo nariz, pela boca e ele se arrastava. A gente teve que fazer uma sedação porque ele estava com muita dor pra poder fazer os procedimentos de emergência”, descreve a veterinária.

A tutora do animal foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte e recebeu atendimento médico por conta de uma mordida de cachorro no braço esquerdo.

Em seguida, foi levada para a Central de Polícia Judiciária, assim como o outro tutor. Os dois foram presos em flagrante e inicialmente respondiam por abuso contra animal, antes da morte do cachorro.

Eles devem passar por audiência de custódia ainda nesta segunda-feira.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.