Veterinário condenado a pena de prisão por deitar o cão ferido no lixo

Veterinário condenado a pena de prisão por deitar o cão ferido no lixo

Veterinário espanhol quis desfazer-se do próprio cão, que tinha sido atropelado.

Um veterinário foi condenado em Espanha por ter posto o seu próprio cão, ferido, num caixote de lixo. O homem de 57 anos terá de cumprir uma pena de prisão de quatro meses e meio e ficará 18 meses impedido de exercer a profissão, para além de ter de pagar uma indemnização à Associação de Defesa dos Animais espanhola.

O incidente aconteceu em dezembro de 2012, quando o cão do veterinário foi atropelado. O homem decidiu então colocá-lo ainda vivo dentro de um saco, fechar o saco e deitá-lo no contentor onde eram postos os cadáveres vindos de uma quinta onde eram criados porcos, de acordo com o jornal El País.

Segundo o juiz, a ação do veterinário “aumentou e prolongou o sofrimento do animal”. O cão foi encontrado horas depois e levado para uma clínica veterinária. Apresentava “várias contusões por todo o corpo, hipotermia, desidratação, exoftalmia, prolapso da íris do olho esquerdo e relativa perda de consciência”.

O veterinário espanhol será obrigado a pagar 854,78 euros à Associação de Defesa dos Animais, que denunciou o caso à justiça. O animal sobreviveu aos ferimentos e recuperou totalmente graças à ação da associação. Foi depois adotado por novos tutores.

Fonte: Diário de Notícias / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.