Veterinário que usou cães como correio de droga foi condenado a seis anos de prisão

Veterinário que usou cães como correio de droga foi condenado a seis anos de prisão
DEA

O veterinário acusado em 2018 de tráfico de droga por colocar cirurgicamente saquetas com heroína líquida implantadas na barriga de cachorros, foi condenado na quinta-feira a seis anos de prisão.

Andres Lopez Elorez, que na altura do julgamento considerou-se inocente, foi sentenciado em Brooklyn, nos EUA.

O acusado, agora condenado pelo crime, fazia parte de um esquema que usava cachorros como “mulas de droga” para traficantes de droga da Colômbia.

Segundo a acusação dos procuradores norte-americanos, Elorez arrendou uma quinta em Medellin, Colômbia, onde criava os cães para depois implantar cirurgicamente a heroína nos seus estômagos para serem importados para os EUA. O homem realizou este ato em pelo menos nove cães.

Em janeiro de 2005, uma equipa policial revistou a quinta e confiscou 17 sacos de heroína líquida, que incluíram dez embalagens removidas cirurgicamente dos cachorros.

Dos cães, três morreram após contraírem um vírus após as operações e cinco fugiram. Um Rottweiler acabou por ser adotado pela polícia colombiana e um Basset Hound ficou com um dos agentes.

O colombiano Elorez fugiu às autoridades até ser preso em 2015 em Espanha, tendo sido depois extraditado para os EUA em maio de 2018.

Por Carolina R. Rodrigues

Fonte: Sábado / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.