VÍDEO: Cachorro preso em abrigo para botijão de gás gera revolta em Florianópolis, SC

VÍDEO: Cachorro preso em abrigo para botijão de gás gera revolta em Florianópolis, SC
Moradores do Sul da Ilha denunciam homem por maus-tratos contra animal – Foto: Karen Penna/Divulgação/ND

Um homem está sendo denunciado pelos vizinhos por maus-tratos contra um cachorro no Ribeirão da Ilha, em Florianópolis. A Dibea (Diretoria de Bem-Estar Animal de Florianópolis) e a GMF (Guarda Municipal de Florianópolis) estiveram no local nesta terça-feira (24), porém, sem o flagrante, não foi possível resgatar o cão.

Segundo Karen Penna, moradora que reside próximo à casa do agressor, o cachorro é maltratado e mantido preso em um abrigo para botijão de gás, sem acesso a água e comida.

A primeira denúncia foi registrada em 7 de julho, por meio de um boletim de ocorrência. Apesar disso, nenhuma autoridade compareceu ao local. E os maus-tratos continuaram a ser presenciados por moradores.

“Teve um dia que ele chegou da rua chutando o animal, chutando de mais”, conta Karen. “Eu fui na rua e me meti, eu gritei com ele, a vizinha do lado também gritou, e nós falamos para ele: ‘Cara, se você não tem condições de ficar com o animal, doa ele’. Ele ficou bem bravo e nos xingou”, continua.

Pedido de ajuda

Foi um pedido de ajuda publicado na internet, nesta terça-feira (24), que deu visibilidade ao caso. Cansada de ver o animal indefeso e preso, Karen fez um apelo para que moradores e internautas a ajudassem denunciando.

“Eu cheguei em casa hoje [terça-feira], por volta das 8h, e o animal estava preso, acredito que desde às 6h, sem acesso a água e comida. Eu tirei uma foto e consegui gravar um vídeo, porque ele coloca vários lençóis e cobertas na cerca”, explica.

“E hoje eu consegui tirar a foto e coloquei nos grupos [da internet] para compartilhar. Na mesma hora eu liguei para o 190 e eles falaram que não poderiam fazer nada, que seria com a Dibea”, explica.

“Então eu peguei o BO e enviei para a Dibea. Ainda pela manhã veio uma pessoa da Sociedade Protetora dos Animais e ela me disse: ‘Eu não posso pegar o animal sem o consentimento dele [dono]’. Outra pessoa também entrou em contato e chamou a Guarda Municipal”, disse.

Porém, quando a Guarda Municipal chegou na casa, o homem já havia soltado o cachorro. “A Guarda Municipal informou que não poderia fazer nada, porque na hora que chegaram não havia cena de maus-tratos. Mas, que iriam vir à tarde com a Dibea”, afirmou.

Durante a tarde, a Dibea foi até o local das denúncias. “A Dibea chegou aqui, viu o animal solto e falou que não poderia pegar o animal porque ele estava solto, não tinha cenas de maus-tratos, e que teria que ser um flagrante”, conta.

De acordo com a moradora, os vídeos e as imagens tiradas por ela não foram suficientes para comprovar a condição vivida pelo animal, já que conforme informado pelo órgão, somente o flagrante poderia ser comprobatório.

“O rapaz da Dibea notificou ele, deixou a notificação na caixa do correio, e falaram que é para ele levar o animal lá para fazer exames”, relatou.

Moradora gravou um vídeo do animal preso – Vídeo: Karen Penna/Divulgação/ND

Contraponto

Em contato com a Diretoria de Bem-Estar Animal, funcionários do órgão informaram que uma intimação foi deixada para o tutor do animal. Também relataram que o cachorro estava “sem sinal aparente de maus-tratos”, e não foi resgatado.

Segundo a assessoria do órgão, fotos são apenas prova circunstanciais, de um momento específico. “Não havia nada em flagrante. A Dibea precisa agir com responsabilidade, e por isso vai continuar acompanhando o caso e pediu esclarecimentos ao tutor”, afirmaram por meio da assessoria.

Por Isabéli Bender, Florianópolis

Fonte: ND+

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.