VÍDEO: cães e gatos são flagrados em situação de maus-tratos em Divinópolis, MG

VÍDEO: cães e gatos são flagrados em situação de maus-tratos em Divinópolis, MG
Cães e gatos em situação de maus-tratos — Foto: Reprodução

Cães e gatos foram flagrados em situação de maus-tratos em uma casa no Bairro Danuze, em Divinópolis, nesta quarta-feira (8). O prefeito Gleidson Azevedo (PSC), o vereador Flávio Marra (Patriota), a Polícia Militar (PM) e representantes do Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa) e da Vigilância Sanitária foram ao endereço após denúncia de vizinhos.

VÍDEO: Situação de maus-tratos contra cães e gatos é flagrada em Divinópolis

No fim da tarde, a Polícia Militar (PM) informou ao G1 que voltariam ao local para retirar os animais, caso uma médica veterinária atestasse os maus-tratos. Contudo, até a última atualização da reportagem, os animais não foram retirados.

Transmissão

O flagrante foi transmitido pelas redes sociais do prefeito. O vídeo mostrou a situação dos cães e dos gatos que ficam do lado de fora da casa. Na garagem e na área, muita sujeira e fezes dos animais. Alguns deles, inclusive, aparentavam estar desnutridos e abaixo do peso.

De acordo com a denúncia dos vizinhos, a dona fica fora de casa de quatro a cinco dias e deixa os animais sem água e alimento (Veja vídeo). A intenção era resgatar os animais para que pudessem ter o tratamento adequado.

“Recebemos um vídeo informando que tinha maus-tratos aqui no Bairro. Que a dona da casa, não é de agora, deixa os cães sem água, sem comida, sem condições de dormir, no sol e fica de cinco a seis dias fora de casa. Quando chegamos aqui os vizinhos pediram para ajudar, pois os cachorros estavam com fome e sede. Maus-tratos é crime. Se a mulher estivesse aqui seria presa”, afirmou o vereador Flávio Marra.

A moradora não estava em casa no momento da chegada dos envolvidos. Foi cogitado chamar um chaveiro durante a transmissão para abrir o portão, mas tomaram a decisão de voltar no fim da tarde para tentar contato com a moradora.

Flagrante foi transmitido pelas redes sociais do prefeito — Foto: Reprodução/Instagram
Flagrante foi transmitido pelas redes sociais do prefeito — Foto: Reprodução/Instagram

Lei Sansão

Nomeada como “Lei Sansão”, em homenagem a um cachorro que teve as patas traseiras decepadas no município de Confins, a lei estabelece pena de dois a cinco anos de reclusão para quem praticar atos de abuso, maus-tratos ou violência contra cães e gatos. O texto também prevê multa e proibição da guarda para quem praticar os atos contra esses animais.

A alteração foi feita na Lei de Crimes Ambientais que previa pena menor, de três meses a um ano de detenção, para quem pratica os atos contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

A pena é aumentada de um sexto a um terço se o crime causa a morte do animal – o que foi mantido no novo projeto. O termo “reclusão” indica que a punição pode ser cumprida em regime inicial fechado ou semiaberto, a depender do tempo total da condenação e dos antecedentes do réu.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.