Vídeo: cão morreu após ser abandonado dentro do carro de veterinária no DF

Vídeo: cão morreu após ser abandonado dentro do carro de veterinária no DF
Material obtido pelo Metrópoles

Um vídeo registrou os últimos momentos de vida do cão que foi abandonado dentro do carro da veterinária Samara Rodrigues, de 30 anos. A mulher é investigada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por manter 12 animais em ambiente fétido, sem alimento ou água e com fezes espalhadas por todo o local.

Na última quinta-feira (9/5), oito cachorros, um coelho, uma ovelha e dois gatos foram localizados em situação degradante. No endereço comunicado, os agentes encontraram o veículo da veterinária e, dentro do carro, um cachorro enrolado em um pano, além de seringas e ampolas de medicação. O cão que aparece nas imagens chegou a ser encontrado com vida, mas morreu logo em seguida.

Ela não estava presente no momento da operação. Os policiais descobriram que ela estaria em um local conhecido como Monte de Oração, em Samambaia. As equipes resgataram os outros animais na casa dela e os levaram para um lar temporário, onde receberam os cuidados necessários.

Além disso, conforme a PCDF, havia a carcaça de um coelho em decomposição e com larvas em volta dentro de uma lata de lixo na varanda da casa. Os policiais encontraram, ainda, um gato sem cabeça.

Procurada pelo Metrópoles, Samara negou ter abandonado os animais e declarou sentir-se perseguida por moradores do condomínio onde mora.

“Os animais não foram abandonados, porque eu estava na casa à noite. No dia anterior eu tinha lavado a casa, colocado comida, olhado todos os animais. Tinha uma pessoa responsável para estar todos os dias na casa, tá? Essa pessoa tinha entrado na casa pela manhã, comprado e colocado comida pros animais” disse. “Meus animais são super bem cuidados”, acrescentou.

Sobre o coelho, a veterinária disse que o encontrou já morto fora da gaiola. “Eu não sei o que que aconteceu com esse coelho. Eu saí de casa aos prantos, porque era uma coelha afetiva minha. E aí, depois que eu limpei tudo, eu coloquei ela no balde porque era o lixo que estava dentro de casa, e saí de casa para rezar. Porque eu estava em luto.”

Ela afirmou, ainda, que é vítima de perseguição. “Há cinco anos, os moradores do prédio que fica atrás da minha casa infernizam minha vida, não me deixam dormir em paz. Me perseguem, hackeiam, me filmam. Então, eu tenho muitas provas de que essa parte da Polícia Civil ter arrombado a minha casa é perseguição sem provas.”

Maus-tratos

Há um ano, a mesma veterinária havia sido autuada por maus-tratos contra animais. Durante uma ação policial, em uma clínica veterinária no Assentamento 26 de Setembro, os investigadores encontraram uma égua, um potro, um filhote de ovelha – que usava um vestido –, cinco coelhos, três cães e três gatos (veja abaixo).

A veterinária manteve ao menos 14 bichos dentro da loja e, durante uma semana, dividiu os cômodos e morou com os animais.

A polícia chegou ao endereço após receber informações de anônimos. À época, após a constatação do crime, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) aplicou uma multa de R$ 3.960 à denunciada.

Por Jonatas Martins, Carlos Carone e Mirelle Pinheiro

Fonte: Metrópoles

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.