Vídeo com flagrante de maus-tratos a cavalo em exposição em BH repercute na internet

Vídeo com flagrante de maus-tratos a cavalo em exposição em BH repercute na internet

Caso aconteceu na Gameleira, que recebe exposição do mangalarga marchador. Associação de criadores repudiou o episódio e disse que autor assinou termo de responsabilidade.

Por Cristiane Silva

Um vídeo que mostra um cavalo sendo chicoteado por um tratador no Parque de Exposições da Gameleira, Região Oeste de BH, que recebe até o próximo sábado a 35ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador, vem causando revolta nas redes sociais. Nesta segunda-feira, a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) disse que o homem já foi identificado.

As imagens mostram o tratador chicoteando o animal nas pernas e nas costas. O cavalo tenta se desvencilhar, mas não consegue por que está preso por uma corda. O vídeo foi publicado no domingo em um grupo criadores e admiradores da raça no Facebook. “Como pode acontecer isso em plena nacional? Um evento grande e bonito como esse não pode ter isso nao hein (sic). Em pleno apice de campanha a maus-tratos aos animais, no sol do meio dia”, comenta o autor da postagem.

Até as 12h30 de hoje, o vídeo já contava com mais de 530 compartilhamentos. “Parabens a quem filmou e fez a denuncia (sic). Se isso acontece na nacional imagina o que um cara desse faz dentro de casa!!!”, disse um internauta. “Se o dono do animal ver isso tem que mandar embora”, sugeriu outro. Algumas pessoas apoiaram o tratador e foram criticadas. “pior de tudo é ver gente postando aqui como se isso fosse normal e forma de ‘corrigir’ o cavalo….. faça me o favor ne, isso ai é desculpa de quem nao sabe mexer…… (sic)”, sugeriu outra internauta.

Ainda no domingo, a ABCCMM publicou uma nota em seu site e no Facebook repudiando o ocorrido e classificando a atitude do tratador como “ultrapassada”, lembrando que o profissional deve zelar pela integridade física do cavalo. “(…) a ABCCMM vem a público se manifestar no sentido que ela abomina, repudia e não pactua com este tipo de comportamento e vê nesta prática um desserviço”, diz a associação. “Tal expediente não é uma conduta adotada pela maior parte dos criadores da raça e, sim, uma exceção. A preocupação da entidade com o bem-estar dos animais vai além, tendo em vista que a Associação se preocupa inclusive com a realização de doping nos animais durante a Nacional.”, afirma.

A reportagem do em.com.br entrou em contato com a assessoria de imprensa da ABCCMM nesta segunda-feira e foi informada que o autor dos maus-tratos foi identificado hoje, orientado e teve que assinar um termo de responsabilidade para permanecer no local. A identididade do tratador e o criatório do qual ele faz parte não foram divulgados pela entidade.

Fonte: Estado de Minas

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.